Domingo, Maio 12, 2024
14.5 C
Braga
AtualidadeInvestigaçãoAlfonso Valencia, pioneiro da bioinformática, vai estar na UMinho

Alfonso Valencia, pioneiro da bioinformática, vai estar na UMinho

Alfonso Valencia, que cofundou e liderou a Sociedade Internacional de Biologia Computacional, vai dar uma palestra na UMinho.

© Alfonso Valencia

Alfonso Valencia, que cofundou e liderou a Sociedade Internacional de Biologia Computacional (única da área no mundo), profere, esta quinta-feira, a palestra inaugural dos XIII Bioinformatics Open Days da Universidade do Minho (UMinho), a partir das 09:30, no auditório B1 do campus de Gualtar, em Braga.

O também diretor do Instituto de Bioinformática de Espanha e da área das Ciências da Vida do Centro de Supercomputação de Barcelona vai abordar o futuro da bioinformática e as simulações a nível celular, perante mais de 100 participantes inscritos de vários países.

O evento de três dias, promovido pelos alunos de Bioinformática da UMinho, destaca depois, às 11:00, a intervenção de Cátia Pesquita, vice-presidente da associação Biodata.pt, que gere a infraestrutura nacional de dados biológicos. A responsável junta-se uma hora mais tarde a Alfonso Valencia, numa mesa redonda para perspetivar a bioinformática na Península Ibérica. Às 14:00 é a vez do britânico Robert Finn, coordenador para a Informática do Microbioma no Instituto Europeu de Bioinformática / Laboratório Europeu de Biologia Molecular.

Na sexta-feira merece relevo, às 09:30, o discurso da cientista Diana Lousa, que usa a biofísica para desenvolver biofármacos contra patógenos virais, como gripe, zika, HIV e SARS-CoV-2. Às 14:00, os estudantes vão poder interagir com empresas do ramo, como a SilicoLife, Accenture, iLoF e OmniumAI, seguindo-se uma feira de emprego. O programa geral inclui ainda 13 apresentações orais, três workshops, duas sessões de posters científicos, quizz e momentos sociais.

“A bioinformática está cada vez mais presente na sociedade e este evento reforça o networking entre a academia e a indústria, em especial com muitos alunos de Lisboa, Aveiro, Porto, Minho e outras regiões a adquirirem mais conhecimentos e contactos, a aproximarem-se de investigadores e empresas e a conhecerem melhor os cursos, os projetos científico-tecnológicos e as tendências neste âmbito”, explica o presidente da comissão organizadora desta iniciativa anual, Gonçalo Apolinário, que é também aluno do mestrado em Bioinformática na Escola de Engenharia da UMinho.

PARTILHE A NOTÍCIA

LEIA TAMBÉM

PUBLICIDADE

NEWSLETTER

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

REPORTAGEM

POPULARES