Sábado, Maio 25, 2024
16.7 C
Braga
RegiãoGuimarãesUNU-EGOV celebrou 10 anos em Guimarães

UNU-EGOV celebrou 10 anos em Guimarães

Unidade Operacional da Universidade das Nações Unidas para a Governança Eletrónica celebrou 10 anos de existência.

© CM Guimarães

Foi no dia 23 de maio de 2014 que se formalizou a criação da UNU-EGOV Unidade Operacional das Nações Unidas para a Governança Eletrónica Orientada para a Política, uma unidade de investigação, serviços de aconselhamento e formação sediada em Guimarães, em Couros.

Por esse motivo, na quinta-feira teve lugar, no Centro Cultural Vila Flor, a cerimónia comemorativa do seu 10.º aniversário, um evento que contou com a presença de Paulo Rangel, ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Domingos Bragança, presidente da Câmara Municipal de Guimarães, Tshilidzi Marwala, reitor da UNU, Delfina Soares, diretora da UNU-EGOV, Rui Vieira de Castro, reitor da Universidade do Minho, e Ana Lemos Gomes, vice-presidente da CCDR-N.

Nas intervenções protocolares, Paulo Lopes Silva, vereador da Câmara Municipal, representando a Câmara Municipal de Guimarães, endereçou os parabéns a “todos quantos, ao longo destes 10 anos, contribuíram para fazer da UNU-EGOV uma unidade especial, essencial na formação dos países em desenvolvimento e na promoção da democracia em todo o mundo”.

No seu discurso, reafirmou o compromisso da autarquia para com a UNU-EGOV, nomeadamente na “ampliação as suas instalações, de forma a criar as condições infraestruturais para que a unidade possa vir a ser classificada como Instituto das Nações Unidas”. Foi deixada “uma palavra de agradecimento ao Governo pela criação da unidade em Guimarães” e lembrada “a necessidade de um apoio contínuo para que a UNU-EGOV possa desempenhar o seu importante papel de um modo cada vez mais relevante e disseminado”.

Paulo Rangel felicitou todos quantos trabalham na UNU-EGOV e destacou “as importantes funções que a literacia digital representam num mundo em mudança acelerada, manifestando o interesse de Portugal em poder ser decisivo na promoção da equidade, do desenvolvimento da democracia e na capacitação de países em vias de desenvolvimento, com especial enfoque nos países de língua oficial portuguesa”. Para Paulo Rangel, “as questões do acesso à tecnologia, no mundo, ainda tem muito caminho a fazer”.

Delfina Soares chamou “a atenção para a importância de celebrar, como forma de analisar tudo o que foi realizado nos 10 anos de existência da unidade, que conta como 37 investigadores de 18 nacionalidades”. Anunciou a criação de um Comité de Aconselhamento que “permitirá obter recomendações e orientações para que o trabalho desempenhado pela UNU-EGOV possa ser o mais consequente e atual possível”. Delfina Soares agradeceu a “todos quantos contribuíram para o sucesso da unidade que dirige, instituições na qual se inclui a Câmara Municipal de Guimarães, representada na cerimónia pelo seu presidente, Domingos Bragança”.

PARTILHE A NOTÍCIA

LEIA TAMBÉM

PUBLICIDADE

NEWSLETTER

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

REPORTAGEM

POPULARES