Quinta-feira, Junho 20, 2024
15.1 C
Braga
AtualidadePolíticaPaulo Cunha defende valores da matriz cristã da Europa

Paulo Cunha defende valores da matriz cristã da Europa

Candidato da Aliança Democrática às Eleições Europeias.

© Aliança Democrática

Paulo Cunha, candidato a eurodeputado pela Aliança Democrática, visitou o Santuário de São Bento da Porta Aberta, no concelho de Terras de Bouro.

No santuário dedicado ao padroeiro da Europa, o número dois da candidatura da Aliança Democrática ao Parlamento Europeu vincou “a importância da matriz cristã para a União Europeia”. “É um legado e um referencial que marca a identidade europeia e é fulcral na construção da UE, assente na afirmação dos seus valores no contexto global, designadamente a nível social e humanista, de paz, tolerância e liberdade”, defendeu Paulo Cunha.

No legado dos valores europeus, o candidato destacou “a defesa do ambiente e dos recursos naturais”, no âmbito de visitas efetuadas ao Parque Nacional da Peneda-Gerês e também à nascente do rio Ave em Vieira do Minho. “No Parlamento Europeu seremos protetores das referências turísticas da nossa região, que vão desde a dimensão natural de Terras de Bouro e Vieira do Minho, à praia em Esposende, passando pelo religioso de Braga, o identitário e cultural de Guimarães, até ao gastronómico de toda a região”, assumiu Paulo Cunha.

O candidato e líder distrital do PSD esteve acompanhado por deputados à Assembleia da República eleitos pelo distrito e também pelos presidentes de Câmara, Manuel Tipo e António Cardoso.

O turismo foi apontado como “fator de desenvolvimento do mundo rural”. Paulo Cunha referiu que se trata de “muito mais do que um setor económico, fonte de emprego e de criação de valor”. Em seu entender, “é também uma alavanca para a valorização do território, para a proteção ambiental, para a preservação da memória, das nossas tradições e afirmação da nossa identidade”.

“A proteção do ambiente é um dever de todos e os nossos municípios têm feito a sua parte. Mas não podemos esperar que façam tudo sozinhos, sem apoios. Os temas ambientais não conhecem fronteiras. A União Europeia, mais do que estabelecer regras e padrões ambientais, tem que criar condições para que esses mesmos padrões sejam exequíveis”, defendeu.

Referindo-se ao ecossistema do Gerês e também à nascente do Ave, o também ex-presidente da Câmara de Famalicão e vice-presidente da direção nacional do PSD sublinhou “a importância da proteção desse conjunto formado pelo rio, as suas margens, o complexo termal e as suas gentes que povoam a região”.

“É esta dimensão integrada e integral que deve presidir à nossa afirmação junto de outras comunidades e esse é o melhor veículo para que nos visitem”, sustentou.

O candidato a eurodeputado reclamou a criação de “instrumentos financeiros e planeamento, que protejam e valorizem os recursos naturais e que tragam retorno económico para a região, capaz de fixar populações e assegurar que estas referências não se percam. Também seremos a voz na proteção do ambiente, na preservação da natureza e valorização dos nossos recursos, conscientes da importância que têm para a nossa qualidade de vida, para o nosso desenvolvimento económico e para a preservação da nossa memória e identidade”.

PARTILHE A NOTÍCIA

LEIA TAMBÉM

PUBLICIDADE

NEWSLETTER

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

REPORTAGEM

POPULARES