Federação de Braga do PS congratula-se com assinatura dos acordos coletivos de trabalho do Hospital de Braga
Sábado , Outubro 24 2020 Periodicidade Diária nº 2614
Principal / Braga / Federação de Braga do PS congratula-se com assinatura dos acordos coletivos de trabalho do Hospital de Braga

Federação de Braga do PS congratula-se com assinatura dos acordos coletivos de trabalho do Hospital de Braga

A Federação de Braga do PS regozijou-se com a assinatura dos acordos dos contratos coletivos de trabalho do Hospital de Braga, que vai garantir a igualdade salarial e laboral a todos os colaboradores da instituição.

Para Joaquim Barreto, líder da Federação Distrital de Braga do PS, este é “um momento que simboliza uma vitória dos profissionais de saúde, do Hospital de Braga e do Serviço Nacional de Saúde, que está a celebrar 41 anos de vida. Foi um longo caminho percorrido até aqui, desde que em 2019 o Hospital de Braga entrou no universo e nesta grande obra da democracia que é o SNS, depois de revertida a PPP. Nem sempre foi fácil, houve avanços, houve recuos, mas sobretudo aproximações num trabalho profícuo levado a cabo pelo atual governo”, disse o líder.

“Os profissionais de saúde são o coração, a alma e a força do nosso Serviço Nacional de Saúde e que só com profissionais de saúde motivados será possível continuar o legado que nos deixou António Arnaut. Desde que passou para a esfera pública, o Hospital de Braga continuou a cumprir. O hospital cumpriu, os profissionais cumpriram e o Estado está também a cumprir”, reforçou.

Joaquim Barreto saudou também o Governo por “cumprir agora com a sua parte ao regularizar a situação a mais de 1.500 profissionais que vão beneficiar destes acordos agora assinados, nomeadamente 805 das carreiras gerais, 99 TSDT, 10 farmacêuticos e 657 enfermeiros”.

“Esta é mais uma prova da contínua aposta que o atual Governo tem vindo a fazer, ao reforçar o SNS, assumindo-o como um principal suporte ao nosso estado democrático. Existem hoje mais 20.600 profissionais de saúde do que em 2015, mais 4.400 médicos, mais 8.200 enfermeiros, mais 1.300 TSDT’s, mais 6.600 entre assistentes técnicos e assistentes operacionais”, finalizou.