Sexta-feira, Agosto 12, 2022
18.8 C
Braga
InícioRegiãoVila Nova de FamalicãoFamalicão apela ao Governo para melhorar condições de trabalho das forças de...

Famalicão apela ao Governo para melhorar condições de trabalho das forças de segurança do concelho

© CM Famalicão

O presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão procurou hoje sensibilizar o ministro da Administração Interna para o problema da falta de condições do quartel da GNR de Riba de Ave.

Mário Passos aproveitou a presença de José Luís Carneiro em Famalicão, para a inauguração do novo Campus da Proteção Civil, para lembrar que a transferência da GNR para o antigo quartel dos bombeiros de Riba de Ave, cujo edifício foi adquirido pela Câmara Municipal, só ainda não aconteceu porque ainda não foi assinado o protocolo de cooperação entre a autarquia e o Governo para a cedência do espaço ao Ministério da Administração Interna.

O autarca salientou o “total espírito colaborativo” da autarquia com as instâncias nacionais para elevar a qualidade dos serviços públicos e apontou a questão da GNR de Riba de Ave como um “bom exemplo” dessa postura. “Estamos a falar de um edifício histórico central em Riba de Ave, com um valor patrimonial elevado, que estamos disponíveis para ceder gratuitamente à administração nacional para resolver o problema da falta de condições da GNR da vila”, disse.

Mário Passos pediu a mesma atenção em relação aos postos da PSP e da GNR de Vila Nova de Famalicão, que precisam de uma intervenção “urgente” de requalificação infraestrutural.

O edil apontou a segurança e o socorro aos cidadãos como uma “prioridade absoluta” para o Município de Famalicão. “Estamos entre as Câmaras do país que mais investe na Proteção Civil Municipal, mas não conseguimos, nem podemos fazer tudo sozinhos. A Administração Central tem que assumir as suas responsabilidades, sabendo que pode contar com a total abertura da nossa parte”.

Na resposta, o ministro mostrou total disponibilidade ao “diálogo com os autarcas” e sensibilidade para com os problemas das comunidades.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS

MAIS LIDAS