Quarta-feira, Fevereiro 21, 2024
12.2 C
Braga
InícioBragaAGERE alarga recolha seletiva de biorresíduos ao setor residencial de Braga

AGERE alarga recolha seletiva de biorresíduos ao setor residencial de Braga

© AGERE

A AGERE apresentou o projeto “Agora Sim. Nada se Perde”, que visa alargar a recolha seletiva de biorresíduos ao setor residencial de Braga.

O projeto, cofinanciado pelo Fundo Ambiental, vai valorizar os biorresíduos e, através do seu correto encaminhamento, transformá-los em energia e em composto 100% orgânico. Numa fase inicial, será implementado nas urbanizações da Makro e Parque Norte (zonas que abrangem 1600 habitações e cerca de 3500 pessoas), com posterior alargamento a todo o concelho de Braga até final do ano.

Durante as próximas semanas, os habitantes das zonas abrangidas serão visitados por equipas de sensibilização especializadas que vão informar e explicar como se pode aderir a este projeto.

Os moradores irão receber gratuitamente um contentor castanho e sacos verdes para depósito dos restos de alimentos em contentores indiferenciados, que serão triados no Ecoparque da Braval.

O objetivo passa também por alargar esta recolha de biorresíduos alimentares a grandes produtores como hospitais, universidades, escolas e unidades de restauração e hotelaria fora do centro histórico (dentro do centro histórico esta separação já se efetua desde 2019).

Como sublinhou Rui Morais, administrador da AGERE, esta separação de biorresíduos por parte da população vai “marcar o futuro da cidade” e irá ainda resultar na diminuição, no tarifário dos munícipes, da Taxa de Gestão de Resíduos decretada pelo governo.

Por seu turno, Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, sublinhou que “esta é uma iniciativa essencial rumo à promoção do desenvolvimento sustentável do território”.

“Estamos a evitar a deposição destes resíduos em aterro e, deste modo, a transformar o que poderiam ser passivos ambientais da nossa sociedade em ativos que podem trazer valor económico. Este processo de generalização da recolha seletiva de biorresíduos requer investimentos consideráveis, pelo que é muito importante que, através de fundos comunitários ou pelo orçamento de estado, se apoie os municípios na implementação destes processos”, finalizou o autarca..

LEIA TAMBÉM

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

REPORTAGEM

POPULARES