Quarta-feira, Maio 22, 2024
17.8 C
Braga
RegiãoGuimarãesOutubro vai ser o mês da Economia em Guimarães

Outubro vai ser o mês da Economia em Guimarães

© CM Guimarães

No pátio das instalações da UNU-EGOV, em Couros, Guimarães, foi apresentada, na manhã desta terça-feira, a programação da que será a primeira edição do Mês da Economia, a realizar em quatro semanas, entre 2 e 30 de outubro.

Este ano, o tema será Inovação & Fábrica do Futuro, e cada uma das semanas será dedicada a uma dimensão: O Estado da Arte; Inovação, Digitalização da Economia e Inteligência Artificial; Crescimento Económico e Sustentabilidade; As Tendências do Futuro. O evento tem a parceira da Associação Empresarial de Guimarães e da Associação Empresarial do Minho.

Domingos Bragança, presidente da Câmara Municipal, manifestou a sua intenção em promover anualmente o Mês da Economia, uma oportunidade que classificou como “um espaço e tempo para discutir com todos a Economia de Guimarães no seu contexto regional, nacional e internacional”.

O edil disse ser necessário “desconstruir preconceitos em relação à economia do território, de enorme força industrial, e de olhar para os desafios do futuro, apoiando as ações nas novas tecnologias e no conhecimento”.

Inteligência Artificial, Novos Materiais e Biotecnologia foram alguns dos exemplos utilizados por Domingos Bragança para evidenciar a “necessidade de densificar os setores do têxtil, calçado e metalomecânica, entre outros, através da inovação e do novo conhecimento, e a oportunidade e emergência de diversificar a estrutura industrial, especificamente na de Base Tecnológica, como a dos biomateriais, dos dispositivos médicos e de saúde, dos novos materiais e da aeroespacial”.

Outros dos aspetos salientados por Domingos Bragança foi o da Economia Circular, e da sustentabilidade ambiental na generalidade. “O mundo está a olhar para as cidades que são ‘verdes,’ culturais e de ciência, e Guimarães é referência nestas dimensões.”, referiu. A possibilidade de criação de uma Zona Livre Tecnológica para a Fábrica do Futuro, uma matéria que está a ser trabalhada ao nível ministerial, é também um dos passos fundamentais para que o “chão de fábrica” de Guimarães, que é constituído pelas inúmeras empresas do concelho, possa evoluir para novos patamares tecnológicos de inovação. “Aqui em Guimarães, existe um património industrial que é passado e presente, mas que sabemos que será futuro”, concluiu o autarca.

Intervieram ainda Rui Castro Dias, presidente da Associação Empresarial de Guimarães, e Ramiro Brito, vice-presidente da Associação Empresarial do Minho, associações parceiras do evento, convergindo ambos na importância do Mês da Economia para uma reflexão que projete um futuro mais inovador e sustentável na economia da região.

Toda a programação de Economia – Inovação & Fábrica do Futuro pode ser consultada em https://fabricadofuturo.guimaraes.pt. A inscrição para os diversos momentos do programa, gratuita, mas limitada aos lugares disponíveis, pode ser efetuada em https://fabricadofuturo.guimaraes.pt/#register.

PARTILHE A NOTÍCIA

LEIA TAMBÉM

PUBLICIDADE

NEWSLETTER

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

REPORTAGEM

POPULARES