Autarquia de Braga vai intervir em árvores de risco
Quarta-feira , Novembro 25 2020 Periodicidade Diária nº 2646
Principal / Braga / Autarquia de Braga vai intervir em árvores de risco

Autarquia de Braga vai intervir em árvores de risco

Os serviços técnicos do Município de Braga, depois da análise e monitorização rigorosa do risco de queda do parque arbóreo da cidade, identificaram um conjunto expressivo de árvores que irão ser substituídas ao longo do ano de 2020.

Este trabalho de identificação e monitorização teve como parceiros especialistas da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), para o qual se produziu um relatório pormenorizado onde se identificam as principais perturbações e os riscos de queda de árvores.

Em comunicado, a Autarquia esclareceu que “ao longo dos últimos meses, verificaram-se diversas patologias no conjunto arbóreo da cidade, entre elas várias fissuras de ramos estruturais e diversas podridões ativas que são irreversíveis, colocando em causa a estabilidade estrutural das árvores e com consequente risco de queda”.

A intervenção de remoção encontra-se na primeira fase e teve início no passado mês de março, no conjunto arbóreo localizado nas traseiras do edifício do Pópulo, ponto de partida para os trabalhos que vão acontecer, também, em outros espaços públicos da cidade.

Desta forma, já na próxima semana, no Largo do Monte de Arcos, serão intervencionadas três árvores, estendendo-se esta intervenção a mais cinco zonas: a Avenida 31 de Janeiro, Campo das Carvalheiras, Parque da Ponte, Avenida Central, zona da Rua Prof. Machado Vilela e a rua do Cantinho dos Carvalhos, num total de aproximadamente 130 árvores a intervencionar.

“De referir que esta operação visa eliminar o risco eminente e de potencial dano que podem ser causados em pessoas e bens. Nos últimos anos têm sido inúmeros os danos provocados pela queda de árvores sobre bens, tendo inclusive ocorrido uma fatalidade que reporta ao ano de 2015. Este plano de remoção tem associado um trabalho de compensação arbórea em que será feita a plantação de três novas árvores por cada uma que seja removida, sempre que possível no mesmo local”, acrescenta.

Estima-se que, no final deste ano, apenas no âmbito do plano de substituição de árvores se plantem aproximadamente 400 novas árvores.