Quinta-feira, Abril 11, 2024
11.7 C
Braga
OpiniãoA Literacia Financeira funciona e faz falta a Portugal

A Literacia Financeira funciona e faz falta a Portugal

© Ana Almeida

Sou estudante de ensino superior e o meu objetivo, tal como o de muitos outros jovens, é alcançar a independência financeira. Deste modo, é necessário sabermos gerir as nossas finanças pessoais de maneira a maximizar o nosso grau de satisfação na aquisição de um bem ou serviço, de acordo com o nosso orçamento. A boa gestão das nossas finanças pessoais constitui, então, uma essencialidade para atingir o nosso objetivo de independência financeira. Porém, apenas poderá ser executada uma boa gestão das mesmas se existir conhecimento prévio nessa área, algo que não é assegurado pelo ensino obrigatório.

A literacia financeira define-se como o conjunto de competências que permitem ao indivíduo – ou organização – munir-se dos conhecimentos necessários para uma gestão eficaz do seu dinheiro e para a tomada de decisões informadas. Nesse aspeto, esta área tem assumido um papel cada vez mais preponderante na vida de cada um.

Nesta temática, Portugal tem ainda um longo caminho a percorrer, sobretudo entre os particulares, onde as fragilidades são grandes e notórias. Os últimos dados disponíveis, de 2020, recolhidos pelo Banco Central Europeu (BCE), revelam que o nosso país ocupa a última posição do ranking de literacia financeira dos 19 países da zona euro.

Para realizar este estudo foram colocadas cinco questões sobre temas tais como a diversificação do risco; inflação; aritmética e juros compostos. Apenas 25% dos portugueses responderam corretamente a, pelo menos, três destas perguntas. Ao comparar com os alemães e holandeses que responderam corretamente a 65% do estudo (ficaram em primeiro lugar do ranking), é evidente que Portugal ainda se encontra aquém em relação a outros países europeus que possuem economias mais desenvolvidas.

Se no início do século XX a literacia escrita era o principal instrumento de capacitação pessoal, neste início do século XXI, a principal ferramenta diferenciadora é a literacia financeira. É crucial para a prosperidade futura.

Mas será que estamos a conseguir melhorar os nossos conhecimentos?

Há bons indicadores nesse sentido, mas ainda há muito a ser feito em relação à promoção deste tema e existe uma necessidade de fornecer recursos acessíveis e transparentes, bem como garantir que todos tenham acesso, para que possamos avançar em direção a uma sociedade financeiramente mais justa e próspera.

Será de aproveitar o curso que a Iniciativa Liberal Braga está a promover que já vai a meio. Após o sucesso das primeiras três sessões, estão ainda previstas mais três onde se irá refletir sobre vários temas que ajudam a compreender melhor as implicações das finanças no nosso dia-a-dia: Finanças Empresariais, Gestão das Finanças Pessoais e uma sessão final mista (presencial e online) onde todos os temas do curso serão abordados.

Artigo de opinião de Ana Almeida, membro da Iniciativa Liberal.

PARTILHE A NOTÍCIA

LEIA TAMBÉM

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

REPORTAGEM

POPULARES