Universidade Lusíada de Famalicão com dois cursos esgotados e reforço de novos alunos
Terça-feira , Outubro 20 2020 Periodicidade Diária nº 2610
Principal / Educação / Universidade Lusíada de Famalicão com dois cursos esgotados e reforço de novos alunos

Universidade Lusíada de Famalicão com dois cursos esgotados e reforço de novos alunos

Paulo Cunha, presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, visitou a Universidade Lusíada. Neste arranque de ano letivo atípico, o autarca quis saber como o Ensino Superior do concelho está a adaptar-se às novas circunstâncias e iniciou este périplo pela Universidade Lusíada.

Acompanhado pelo presidente do Conselho de Administração da Fundação Minerva, João Redondo, e pelo vereador da Educação, Leonel Rocha, Paulo Cunha visitou a universidade, conheceu de perto os projetos que estão a ser implementados e conversou com os responsáveis sobre os desafios para o futuro.

Para o representante máximo da universidade, João Redondo, “apesar de este ser um ano completamente atípico há bons sinais que nos dão alento e otimismo. Entraram mais alunos na universidade, as classificações aumentaram e os alunos tiveram melhores notas”.

“Na Universidade Lusíada de Famalicão temos agora cerca de 1000 alunos entre licenciaturas, mestrados e pós-graduações”, afirmou o responsável, adiantando que dois cursos esgotaram as suas vagas, como é o caso de Contabilidade e de Gestão de Empresas. A Engenharia de Gestão Industrial e Arquitetura viram também um reforço na sua procura.

João Redondo enalteceu os projetos promovidos pela universidade em colaboração com o Município, como o “My Machine” ou a estação meteorológica para monitorização da qualidade do ar no território. “São projetos que nos dão boas perspetivas e que são um sinal da excelente ligação da universidade à comunidade”, acrescentou.

No final da visita, Paulo Cunha disse sair “com a convicção que a Universidade Lusíada se adaptou às novas circunstâncias, e soube reunir as condições para que este seja um ano letivo bem-sucedido”.

“A Universidade Lusíada, para além de ser uma resposta aos jovens que queiram concluir o plano de estudos, é também um polo de referência para o desenvolvimento do concelho. O que está aqui a ser desenvolvido e criado tem uma enorme utilidade para o futuro do concelho do ponto de vista da investigação cientifica e da educação”, salientou o autarca, demonstrando a sua “satisfação com aquilo que testemunhou e que pode transmitir aos famalicenses que aquilo que está a acontecer na Universidade Lusíada é claramente um ganho e a criação de condições para que tenhamos um futuro ainda melhor do que aquilo que é o nosso presente”.

A Universidade Lusíada chegou a Famalicão em 1989, fazendo parte da comunidade há mais de 30 anos.