Quarta-feira, Junho 19, 2024
20.6 C
Braga
AtualidadeAEJ e jornalista português premiados por divulgarem caminho que liga Braga a...

AEJ e jornalista português premiados por divulgarem caminho que liga Braga a Santiago

© Associação Codeseda Viva

A Associação Espaço Jacobeus (AEJ) e o jornalista português Carlos Ferreira foram distinguidos com o Prémio Abadessa Mariana 2023, pelo seu trabalho de defesa e divulgação do Caminho da Geira e dos Arrieiros, que liga Braga a Santiago de Compostela, atribuído pela associação Codeseda Viva, da Galiza.

O prémio, criado em 2020, “reconhece pessoas, associações e entidades que colaboram com a associação no desenvolvimento de atividades e investigações”, e na presente edição foi atribuído também ao Seminário de Estudos Locais de A Estrada (Galiza).

Após receber a distinção numa cerimónia que decorreu no MOME – Museu do Mobiliário e da Madeira de A Estrada, no sábado, Carlos Ferreira disse “crer que o Caminho da Geira é dos Arrieiros (CGA) é, entre os itinerários novos, o único verdadeiramente a renascer por efeito dos peregrinos”.

“Não teve até agora um apoio institucional como outros, mas os peregrinos já fizeram partilhas de milhares de filmes, fotografias, filmes e de milhares de histórias que criaram uma enorme dinâmica de conhecimento e divulgação do CGA”, explicou.

“Deste ponto de vista”, adiantou o jornalista português, colaborador permanente do Região de Leiria e diretor do Jornal da Batalha, “este caminho está certificado e validado, e creio ser um itinerário que nunca voltará atrás”.

No entanto, para o premiado esta circunstância “não menospreza o trabalho que tem de ser feito pelas entidades com papeis no ordenamento e gestão do território, na cultura e no turismo”.

“Peço é que as entidades com competências na homologação dos caminhos sejam transparentes a decidir e com equidade. Para mim não há caminhos maus, todos os que levam a Santiago de Compostela são bons”, salientou o jornalista, que recebeu o galardão pela divulgação que faz deste itinerário jacobeu.

Já o presidente da Associação Espaço Jacobeus, António Devesa, destacou que “todos os caminhos para Santiago de Compostela são aceites e abraçados pela associação, que está em todas as frentes e é transparente”.

Em relação ao CGA disse que, como noutros caminhos, “há pedras, mas vão ser retiradas, porque quem fala mais alto é Santiago de Compostela”. “Problemas há-os sempre, mas sinto um grande orgulho no Caminho de Santiago, porque é uma espécie de Nações Unidas, que recebe gente de todo o mundo”, referiu António Devesa.

“É um caminho algo mágico neste e noutros aspetos, que nos forma no sentido da partilha e de sermos seres humanos melhores, que une”, destacou o presidente da AEJ, que recebeu o prémio pela entrega da associação na ajuda aos peregrinos e pelo apoio ao CGA.

A presidente do Seminário de Estudos Locais de A Estrada, Chus Fernández Bascuas, recebeu o galardão por a instituição ter recebido os primeiros peregrinos que chegaram pelo CGA em 2017 e pela divulgação deste caminho em diversas revistas de referência de história e cultura.

Na cerimónia estiveram presentes, além de autarcas e dirigentes associativos portugueses e galegos; o presidente da Academia Jacobeia, Xesús Palmou, os investigadores Luís Ferro e Jorge Fernández, o presidente da Associação de Amigos do Caminho Português de Santiago, Celestino Lores, o geógrafo Mark Auchincloss, o escritor Pepe Balboa e o influencer chinês, Hui Liu, entre outros.

O Prémio Abadessa Mariana 2023 perpetua a memória da primeira abadessa do Mosteiro de Codeseda (A Estrada), da qual existem referências escritas desde os princípios do século IX e que no ano de 1164 passou a ser governado por uma mulher, mantendo a sua condição de mosteiro feminino até à sua extinção cerca do ano 1419.

PARTILHE A NOTÍCIA

LEIA TAMBÉM

PUBLICIDADE

NEWSLETTER

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

REPORTAGEM

POPULARES