Sábado, Abril 13, 2024
18.4 C
Braga
AtualidadeTurismo do Porto e Norte quer regresso do Ministério do Turismo

Turismo do Porto e Norte quer regresso do Ministério do Turismo

© Turismo do Porto e Norte

Luís Pedro Martins tomou posse para um novo mandato de cinco anos à frente da Entidade Regional de Turismo do Porto e Norte de Portugal, pedindo ao futuro Governo das eleições de 10 de março que “faça regressar à sala do Conselho de Ministros um ministro do Turismo”.

“O Turismo merece ter um ministério e não uma simples Secretaria de Estado a funcionar em partilha com outros setores”, defende Luís Pedro Martins, evocando os 25 mil milhões de euros de receitas gerados pelo setor, “que é a verdadeira alavanca económica do país”.

Perante uma sala cheia de convidados institucionais e representantes das empresas privadas do setor, no Castelo de Santiago da Barra, em Viana do Castelo, o responsável pelo Turismo do Porto e Norte de Portugal reclamou o fim dos cativos, que “no caso da região ascendem a cerca de 90 por cento do orçamento”. “É um grande constrangimento com que se debatem as entidades regionais do turismo, à semelhança do que acontece com a necessidade de autorização prévia para contratar serviços especializados, o que torna a gestão burocrática, penosa e morosa”, sustenta Luís Pedro Martins.

O financiamento é outro desafio. As entidades regionais “trabalham com os mesmos orçamentos há demasiados anos, só que, entretanto, o mundo mudou, e os nossos concorrentes têm hoje orçamentos reforçados”, sublinhou.

Em outro plano, Luís Pedro Martins exige “melhorar a equidade entre regiões, no que diz respeito, por exemplo, ao apoio dado aos eventos, quer sejam de dimensão internacional, nacional ou regional”. “Não podemos usar as mesmas métricas entre territórios distintos e onde o acesso, por exemplo, a patrocinadores é desigual”, sublinha, apelando, ainda, ao próximo Governo que “projetos estruturantes, como a Linha do Douro, sejam uma realidade”.

O destino Porto e Norte registou, em 2023, 13 milhões e 300 mil dormidas, o maior crescimento nacional e, no que respeita a proveitos da hotelaria, uma subida de 48 por cento, fixando-se num valor a rondar os 950 milhões de euros.

“Conseguimos ter mais turismo, mas também melhor turismo e não tenham dúvidas que este é o setor que alavanca o País, que cria riqueza para os territórios”, considera Luís Pedro Martins.

Da Comissão Executiva liderada por Luís Pedro Martins fazem ainda parte Cancela Moura (vice-presidente), Vítor Paulo Pereira, Manuel Tibo e Pedro Mesquita Sousa. A Mesa da Assembleia Geral é presidida por João Manuel Esteves e o novo Conselho de Marketing é encabeçado pela Associação de Turismo do Porto, fazendo também parte do órgão a Associação Portuguesa de Empresas de Congressos, Animação Turística e Eventos, a Associação Portuguesa de Agências de Viagens e Turismo, a Porto Business School, a Alfândega do Porto e as câmaras municipais de Macedo de Cavaleiros e do Peso da Régua.

PARTILHE A NOTÍCIA

LEIA TAMBÉM

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

REPORTAGEM

POPULARES