Sábado, Maio 21, 2022
22.9 C
Braga
InícioRegiãoBarcelosTheatro Gil Vicente em Barcelos contemplado com 600 mil euros

Theatro Gil Vicente em Barcelos contemplado com 600 mil euros

CM Barcelos

O Theatro Gil Vicente, em Barcelos, foi contemplado com 600 mil euros para apoio à programação nos próximos quatro anos. Este financiamento resulta da aprovação de uma candidatura no âmbito do Concurso de Apoio à Programação da Rede de Teatros e Cineteatros Portugueses (RTCP), exclusivamente elaborada pelos serviços municipais afetos à gestão deste equipamento cultural.

Mário Constantino, presidente do Município, sublinha a importância deste apoio no sentido de que vai ao encontro das intenções da autarquia. O autarca pretende “democratizar o acesso aos equipamentos e bens culturais e colocar Barcelos como centro produtor e emissor de arte e cultura”.

Por seu lado, a vereadora do pelouro da Cultura da Câmara de Barcelos mostrou-se “extremamente feliz” com este apoio. Segundo Elisa Braga, este financiamento “vai permitir apresentar ainda melhor programação e libertar meios para melhorar o Theatro em termos técnicos”. A vereadora sublinhou ainda a importância deste financiamento no contexto da concretização de diversos projetos culturais que envolvem diversas instituições do concelho.

Relativamente à candidatura do Theatro Gil Vicente, ela baseou-se no projeto – Circuito Criativo TGV, uma candidatura totalmente “dentro de portas”, demonstrando uma articulação programática dedicadas às artes performativas (teatro, música, cinema, dança, circo e ópera) e aos cruzamentos disciplinares, o que levou o júri a atribuir-lhe uma excelente pontuação. A aposta do projeto assentou numa programação para todos, planificada e dividida por 10 círculos temáticos, aplicando na íntegra a classificação + que 0 sem mais limites de idades ou pressupostos culturais.

A relevância artística e o fator comunidade/local são fatores de discriminação positiva que explorando o “fazer o que ainda não foi feito” dimensionaram a programação plural e abrangente pensada para estes 4 anos. A título de exemplo, no ano de 2022, o Theatro Gil Vicente vai realizar 192 atividades, acolher 66 espetáculos, 21 apoiados pela DGArtes e a coproduzir 48 espetáculos. Nas projeções cinematográficas, dos 43 filmes a exibir, 37 são obras nacionais, sendo estes números repercutidos nos anos seguintes.

Concurso de Apoio à Programação da Rede de Teatros e Cineteatros Portugueses

O Concurso de Apoio à Programação da Rede de Teatros e Cineteatros Portugueses (RTCP), o primeiro a ser promovido no país, recebeu 61 candidaturas; destas foram excluídas 4 em fase de verificação, pelo que a comissão apreciou um total de 57 candidaturas, sendo que os apoios apenas vão chegar a 38 equipamentos culturais, com valores entre os 50 mil e os 200 mil euros anuais, a serem pagos ao longo dos próximos quatro anos.

Nesta linha de apoio, o financiamento do Estado é atribuído de acordo com diferentes patamares e corresponde, no máximo, a metade do orçamento global do plano proposto, sendo os restantes 50% assegurados pela entidade gestora do equipamento. As entidades que concorreram foram avaliadas tendo em conta a apresentação de um plano de programação dedicado às artes performativas (circo, dança, música, ópera e teatro), podendo ainda incluir outras áreas, como o cruzamento disciplinar, artes visuais, cinema, residências e ações de mediação e de formação. A apresentação de, pelo menos, 15% de obras que tenham recebido apoio da DGARTES, no domínio da criação, e a realização de, no mínimo, 10% de coproduções originais, foram outros dos critérios considerados na análise das candidaturas. Segue-se, agora, um período de 10 dias úteis para audiência de interessados.

No caso das regiões de Aveiro, Médio Tejo, Alto Minho, Área Metropolitana de Lisboa, Algarve, Beiras e Serra da Estrela e Viseu Dão Lafões mais de metade dos equipamentos culturais serão apoiados. Destacam-se as regiões de Coimbra, Braga e Cávado, onde todos os equipamentos que concorreram estão propostos para apoio.

Recorde-se que a Direção-Geral das Artes é um organismo do Ministério da Cultura da República Portuguesa que tem por missão a coordenação e execução das políticas de apoio às artes em Portugal, com a prioridade de promover e qualificar a criação artística, bem como garantir a universalidade da sua fruição. Entre as suas atribuições, estão propor e coordenar medidas estruturantes nas áreas das artes visuais, artes performativas e cruzamento disciplinar; implementar programas de apoio financeiro dirigidos ao setor das artes, consolidando e renovando o tecido artístico português; promover a igualdade de acesso às artes; fortalecer a projeção internacional dos artistas e outros agentes culturais portugueses; estimular o diálogo interdisciplinar, articulando políticas intersetoriais que cruzem as artes com a ciência, a educação, a economia, o turismo, entre outros; assegurar e fomentar a produção de conhecimento específico sobre o setor; promover e divulgar a criação artística nacional, assegurando o registo, a edição e a divulgação de documentos e obras referentes às artes; realizar projetos e ações que contribuam para a valorização do setor das artes e dos seus profissionais.

Apoie a Braga TV

A Braga TV precisa do seu contributo, caro leitor.

Contribua com o seu donativo para que possamos continuar a dar informação aos nossos leitores.

Apoie aqui.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS

MAIS LIDAS