Ricardo Costa apresenta proposta de uma única comunidade intermunicipal para o distrito de Braga
Sábado , Outubro 24 2020 Periodicidade Diária nº 2614
Principal / Região / Ricardo Costa apresenta proposta de uma única comunidade intermunicipal para o distrito de Braga

Ricardo Costa apresenta proposta de uma única comunidade intermunicipal para o distrito de Braga

Ricardo Costa, vereador da Câmara de Guimarães, apresentou, à Comissão Política Federativa do PS de Braga, uma proposta de que as duas CIMs do distrito de Braga, nomeadamente a CIM do Ave e CIM do Cávado, se fundam numa só, formando uma única CIM do distrito de Braga.

De acordo com o socialista, esta medida tem como objetivo “potenciar as sinergias e poder político e económico do distrito de Braga no todo nacional”.

A proposta será agendada e votada na próxima reunião da distrital socialista, a realizar ainda antes do final do ano.

O Vale do Ave e do Cávado são as duas sub-regiões que integram o distrito de Braga, constituindo duas Comunidades Intermunicipais distintas, correspondendo a associações livres de Municípios.

“As competências que hoje surgem associadas às entidades intermunicipais revelam-se como efetivos instrumentos de desenvolvimento. Visando ganhar credibilidade, dimensão e dinamismo para responder aos desafios que se continuam a colocar ao nosso distrito e ao país, o que se propõe é que o PS do distrito de Braga assuma a defesa de uma agregação das sub-regiões do Ave e do Cávado numa nova e única Comunidade Intermunicipal do distrito de Braga, potenciando o distrito e a região, promovendo de modo mais ativo a sua representatividade social, económica e política no todo nacional”, explica Ricardo Costa.

O socialista afirma que “não se trata, aqui, de apagar a diferença que marca a singularidade de cada um dos Municípios, mas sim de concertar e falar a uma só voz e interesse”.

“Num território tão diverso como o do distrito de Braga, tão distante nos seus extremos geográficos, tão matizado na sua paisagem, cultura e sociedade, mas também num território que comunga uma continuidade física indelével e um interesse partilhado de investimento e coesão, encontrar formas articuladas de construção, assunção e defesa de políticas, é fator fundamental para a boa defesa e gestão do espaço que é de todos nós”, acrescenta.

O socialista finaliza, realçando que “esbater a compartimentação da administração do território e potenciar a sua síntese num ‘rosto’ e referência, será o grande foco de uma estrutura administrativa e política supra-municipal, o que poderá e deverá ocorrer através de uma comunidade distrital de expressão intermunicipal do distrito de Braga e que uma CIM do distrito de Braga poderia configurar”.