Segunda-feira, Fevereiro 26, 2024
11.5 C
Braga
InícioRegiãoJovem compra "meia aldeia" no Gerês para albergar peregrinos dos Caminhos de...

Jovem compra “meia aldeia” no Gerês para albergar peregrinos dos Caminhos de Santiago

João Amorim, criador de conteúdos e líder de viagens português, seguido por 128 mil pessoas no Instagram, comprou “meia aldeia” em Castro Laboreiro, no concelho de Melgaço, que conheceu enquanto percorria o Caminho da Geira e dos Arrieiros, que liga Braga a Santiago de Compostela, para desenvolver um projeto de turismo rural.

“Há muito tempo” que João Amorim, de 31 anos, responsável pela Follow de Sun Travel, queria fazer o Caminho de Santiago, mas procurava um itinerário “diferente do habitual”, porque é fascinado pela natureza, nomeadamente o Parque Nacional da Peneda-Gerês, onde costuma caminhar.

“Quando descobri o Caminho da Geira e dos Arrieiros percebi que era o ideal para os meus objetivos”, conta o viajante, também fotógrafo e natural de São João da Madeira, acrescentando que “o desejo de o fazer surgiu há pouco mais de um ano e concretizou-se no verão de 2022”.

Para João Amorim, “foi uma ótima escolha, porque é um caminho muito bonito”. Foi, precisamente, em Castro Laboreiro que o Caminho da Geira e dos Arrieiros guiou o líder de viagens até ao novo projeto. “Não foi um processo calculado. Decidi parar, ficar um dia para descansar e estar com o Paulo Azevedo, CEO da empresa Montes de Laboreiro, que conhecia, mas não pessoalmente. Eu mostrei interesse em, um dia, comprar uma casa numa serra e ele levou-nos a ver aldeias da região, mas nunca imaginei que iria comprar”, explica.

No entanto, a aldeia de Varziela, na União das Freguesias de Castro Laboreiro e Lamas de Mouro, ficou-lhe na memória. “Foi um dos sítios que me pareceu mais especial: a proximidade ao rio, lindíssimo, as cascatas, a aldeia em si e a ponte medieval, chamaram muito a minha atenção”, reconhece.

A Passagem de Ano de 2022 em Castro Laboreiro com os primos, por sua sugestão, acabaria por ser decisiva. O criador de conteúdos queria mostrar-lhes a região e “pôr o olho e ver se existia qualquer coisa interessante à venda”. No último dia do ano, encontraram uma casa em Varziela, no dia seguinte telefonaram à proprietária e a meio da primeira semana de 2023 fecharam o negócio.

Entretanto, quando andavam a passear na aldeia viram outra placa a anunciar a venda de uma casa e entraram em contacto com a imobiliária que afixara o anúncio. À venda estava o fundo da aldeia de Varziela, um conjunto de 10/12 casas. “E assim nasceu o projeto Fundo da Aldeia, de um momento para o outro, passámos (João, o pai e um primo) de compradores de uma casa com quatro currais, para compradores de meia aldeia”, refere João Amorim.

O Turismo Rural Fundo da Aldeia está “numa fase muito inicial”. As escrituras foram assinadas a 24 de fevereiro e a ideia anunciada no domingo seguinte, num vídeo publicado em Follow de Sun Travel. “Agora é preciso fazer o projeto e encontrar as parcerias locais necessárias, sejam pessoas, empresas ou instituições, e avançar o mais rapidamente possível. Numa perspetiva muito positiva, demoraremos meio ano a fazer o projeto e um ano a reabilitar os edifícios”, explica.

A aldeia de Varziela está próxima do Caminho da Geira e dos Arrieiros. Por isso, uma das ideias de João Amorim “é criar um albergue, com 6/10 camas”, a instalar paralelamente “às coisas de topo e preços correspondentes à qualidade” do projeto a desenvolver. Neste sentido, o Turismo Rural Fundo da Aldeia “pode colmatar um pouco a falta de locais para ficar na zona de Castro Laboreiro”, adianta.

O Caminho da Geira e dos Arrieiros começa na Sé de Braga e passa pelos municípios de Amares, Terras de Bouro e Melgaço, entrando na Galiza pela Portela Homem. Nos últimos seis anos foi percorrido por mais de três mil peregrinos.

LEIA TAMBÉM

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

REPORTAGEM

POPULARES