Sábado, Dezembro 3, 2022
5.4 C
Braga
InícioBragaInvestigador norte-americano Bruce Lewenstein visitou Centro Ciência Viva de Braga

Investigador norte-americano Bruce Lewenstein visitou Centro Ciência Viva de Braga

© Centro Ciência Viva de Braga

Bruce Lewenstein, investigador norte-americano, visitou o Centro Ciência Viva de Braga. O reconhecido professor é autor de diversos livros e artigos científicos mundialmente reconhecidos e é especialista em comunicação de ciência e envolvimento de público em ciência.

Esta visita decorreu na sequência da sua residência na Universidade de Aveiro, no qual está envolvido até 2 de abril, no âmbito do programa “Fulbright Specialists” para mobilidade de cientistas americanos. O investigador foi recebido pela equipa de monitores do Centro Ciência Viva.

A vinda a Braga foi realizada em conjunto com o diretor da Fábrica de Ciência de Aveiro, Pedro Pombo, e a investigadora Cecília Guerra, servindo para visitar o espaço físico do Centro Ciência Viva de Braga, perceber o seu funcionamento, os diversos projetos nacionais e internacionais que estão em curso e aprender as metodologias que estão a ser implementadas em Braga nos domínios da comunicação com o público e com a comunidade escolar. Para além destas temáticas, foram também apresentados alguns projetos de ciência cidadã nos quais a equipa do Centro de Ciência está envolvido.

Na sequência da visita o diretor do Centro de Ciência, João Vieira, realçou “a importância da visita de tão ilustre personalidade. É uma honra, não só para o Centro Ciência Viva de Braga, mas também para a nossa cidade, a visita do Dr. Bruce Lewenstein. Para nós é uma enorme motivação poder partilhar o nosso trabalho e discutir a temática da comunicação de ciência com alguém que tem este reconhecimento à escala global. Devemos recordar que a comunicação de ciência ganhou ainda mais importância nos últimos anos e por essa razão é cada vez mais importante potenciarmos a sua relevância social. A visita motiva-nos, ainda mais, para o envolvimento com o público, em ciência e em tecnologia, sobretudo porque sentimos que estamos a fazer bem o nosso trabalho e que estamos a alargar muito o impacto social deste trabalho na nossa comunidade”.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS

MAIS LIDAS