Domingo, Abril 18, 2021
18.9 C
Braga
InícioOcorrênciasHomem da Póvoa de Lanhoso vítima de chantagem após troca de fotos...

Homem da Póvoa de Lanhoso vítima de chantagem após troca de fotos íntimas

DR

Um homem da Póvoa de Lanhoso denunciou no Posto Territorial de que estaria a ser chantageado por uma mulher que conheceu através de uma plataforma online de encontros e era ameaçado com a divulgação de imagens de cariz íntimo trocadas entre ambos.

A GNR de Braga, através do Destacamento Territorial da Póvoa do Lanhoso, iniciou uma investigação em janeiro e conseguiu identificar dois homens e duas mulheres, com idades entre os 19 e os 38 anos, por burlas e extorsões através da Internet, na área metropolitana de Lisboa.

Após diligências policiais, a GNR apurou que o modo de atuação do grupo consistia numa abordagem inicial por parte das mulheres para seduzir e levar homens a enviar imagens suas de cariz íntimo e sexual, sendo posteriormente ameaçados da divulgação destas imagens nas redes sociais e junto dos seus familiares mais próximos, caso não fizessem transferências monetárias. No seguimento da investigação, os militares apuraram que as vítimas chegaram a efetuar várias transferências bancárias, ascendendo ao valor de 2.500 euros, pelo que realizaram quatro buscas domiciliárias, que culminaram na apreensão de cinco telemóveis, diversa documentação e comprovativos de transferências bancárias.

Os quatro suspeitos foram constituídos arguidos e os factos foram remetidos para o Tribunal Judicial da Póvoa de Lanhoso.

A operação contou com o reforço da estrutura de investigação criminal do Comando Territorial de Lisboa e com o apoio da Polícia de Segurança Pública (PSP).

A GNR relembra que “ao partilhar imagens ou vídeos íntimos de cariz sexual através das redes sociais ou aplicações, estes podem vir a ser utilizados para extorquir dinheiro em troca da sua não divulgação”.

Para evitar este tipo de crime, a GNR aconselha:

  • Não ter material íntimo no telemóvel, este conteúdo pode ser acedido por terceiros e facilmente divulgado;
  • Não partilhar conteúdos privados, principalmente com estranhos;
  • Não publicar fotos íntimas nas redes sociais, que podem vir a ser utilizadas por terceiros.

Se for vítima:

  • Não ter vergonha e reportar o seu caso às autoridades;
  • Não pagar a quantia exigida;
  • Não estabelecer mais contactos com esse “amigo virtual” e bloquear o mesmo das redes sociais;
  • Não apagar as conversas e imagens, pois podem servir de prova para identificar os agressores;
  • Alertar o administrador da rede social para o informar que essas imagens ou vídeos foram publicados sem o teu consentimento, para que as mesmas sejam eliminadas.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS

MAIS LIDAS