Quarta-feira, Setembro 22, 2021
22.4 C
Braga
InícioEducaçãoGrupo Indaqua atribui bolsas a estudantes carenciados da Universidade do Minho

Grupo Indaqua atribui bolsas a estudantes carenciados da Universidade do Minho

UMinho

A Universidade do Minho e o Grupo Indaqua, dedicado à gestão e abastecimento de água, assinam, esta terça-feira, um protocolo para a atribuição de 12 bolsas a estudantes desta academia. A cerimónia é às 17:00, no salão nobre da Reitoria da UMinho, no centro de Braga, com a presença do CEO do Grupo Indaqua, Pedro Perdigão, do reitor, Rui Vieira de Castro, e do administrador dos Serviços de Ação Social da UMinho, António Paisana.

Cada bolsa tem o valor da propina anual, que ronda os 700 euros, e abrange os alunos mais carenciados da Universidade do Minho com origem nos concelhos de Matosinhos, Oliveira de Azeméis, Santa Maria da Feira, Santo Tirso, Trofa e Vila do Conde, onde o Grupo Indaqua opera.

“Foi com agrado que recebemos esta iniciativa da Indaqua, pois é exemplo dos benefícios para os estudantes que podem resultar da relação próxima entre academia e empresas”, refere Rui Vieira de Castro. “Acreditamos que este trabalho conjunto, enquanto reforço aos mecanismos de ação social de que a Universidade do Minho já dispõe, será muito relevante no percurso dos alunos a quem estas bolsas de estudo vão chegar em breve”, realça.

Pedro Perdigão salienta que a Indaqua “procura continuamente reforçar medidas de apoio ao desenvolvimento social sustentado dos territórios em que atua, identificando áreas de maior necessidade, como é o caso da educação”. “A frequência do ensino superior exige um esforço significativo das famílias, que foi agravado pelo contexto pandémico. Por isso, tornou-se determinante contribuirmos para apoiar algumas destas famílias, incentivando os jovens a manterem o seu percurso académico, já que este terá grande impacto em toda a sua vida profissional”, acrescenta.

Fundado em 1994 e com 580 colaboradores, o Grupo Indaqua agrega oito empresas em Portugal, que servem 600 mil pessoas, e uma em Angola, atuando ainda com a subsidiária de infraestruturas Aqualevel e como participada do Grupo Miya, que serve um milhão de pessoas em três continentes.

Apoie a Braga TV

A Braga TV precisa do seu contributo, caro leitor.

Contribua com o seu donativo para que possamos continuar a dar informação aos nossos leitores.

Apoie aqui.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS

MAIS LIDAS