Segunda-feira, Junho 24, 2024
18.8 C
Braga
RegiãoFafeFesta do Emigrante leva Pedro Mafama, Carlos Pires e Os Trastes a...

Festa do Emigrante leva Pedro Mafama, Carlos Pires e Os Trastes a Fafe

© Pedro Mafama / Carlos Pires / Os Trastes

Fafe recebe a Festa do Emigrante, de 4 a 10 de agosto, com muita animação. Concerto com Pedro Mafama, DJs, uma feira de vinhos e petiscos, música tradicional e popular, folclore do mundo, uma exposição e uma sessão de apresentação dos programas de apoio ao regresso dos emigrantes são alguns dos destaques do programa que volta a equilibrar a componente festiva com agenda cultural onde não falta a apresentação de um livro e uma sessão de cinema ao ar livre. O evento encerra com a presença do secretário de Estado das Comunidades, Paulo Cafôfo.

A Festa do Emigrante celebra-se em Fafe  e arranca com o Trio Elétrico e DJs para assinalar a chegada dos milhares de emigrantes que todos os anos regressam a Fafe. Este momento antecipa a estreia da “Feira dos Vinhos e Petiscos”, um arraial minhoto organizado pelo Rancho Folclórico de Fafe e que se realizará nos dias 5 e 6 de agosto, na Praça 25 de Abril.

Entre tasquinhas, cantares ao desafio, concertinas e música tradicional, o Rancho Folclórico de Fafe programou a atuação do grupo “Os Trastes” e de Carlos Pires, o cantor fafense e autor do “Vira de Fafe”.

Entre 7 e 27 de agosto, a Arcada recebe a exposição “As costas portuguesa e francesa sob o olhar dos satélites”, promovida pelo Município de Fafe com a colaboração da Agência Espacial Portuguesa. A autarquia pretende, desta forma, dar a conhecer aos emigrantes (sobretudo aqueles que vivem em França) uma perspetiva diferente dos dois países que melhor conhecem.

No dia 8 de agosto é a vez do cantor de “Olarilolé” se apresentar perante o público fafense. Pedro Mafama atuará no palco da Praça 25 de abril, a partir das 21:30. No dia seguinte, realiza-se o festival de folclore do mundo “Fest’In Folk”, uma organização conjunta do Município de Fafe e Fest’InFolk Corredoura.

A Festa do Emigrante termina no dia 10 de agosto com uma sessão de apresentação dos apoios aos emigrantes, medidas de apoio fiscal e ao investimento da diáspora inscritos no programa “Regressar”. O evento tem início pelas 17:00, no auditório da Câmara Municipal de Fafe, e contará com a presença do secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, Paulo Cafôfo.

No mesmo dia, a partir das 21:00, no auditório exterior da Casa Municipal da Cultura e Biblioteca Municipal será apresentado o livro “As Fafeiras”, da autoria de Paulo Inocêncio e José Novais (e que versa sobre as mulheres das freguesias serranas de Fafe que migraram para o litoral para trabalharem na seca do bacalhau).

“As Fafeiras”

O livro “As Fafeiras”, da autoria de Paulo Moreira e António José Novais, retrata o processo migratório de jovens mulheres, oriundas de algumas freguesias do norte do concelho Fafe, para a localidade de Gafanha da Nazaré (e outras, designadamente, Vila do Conde), para trabalharem na seca do bacalhau.

Resultado de um trabalho etnográfico e de pesquisa baseada em entrevistas individuais, esta obra identifica mulheres que migraram no seu próprio país, mas que, em boa parte, acabaram por emigrar para destinos longínquos. Com este livro é possível conhecê-las, assim como as suas histórias pessoais.

“EROSÃO” cinema comunitário de Fafe inspirado em Miguel Torga

O filme EROSÃO é um hino poético ao fenómeno da emigração a partir do mundo rural. Impulsionado pela companhia EnfimTeatro e a Sociedade de Recreio Cepanense, o filme é resultado de um projeto comunitário homónimo que tem a comunidade fafense como protagonista.

Rodado em Fafe, com não-atores fafenses e orientado tecnicamente por alguns atores, técnicos e encenadores profissionais, envolveu mais de 200 participantes e duas dezenas de instituições. “Erosão” inspira-se na obra de Miguel Torga, “Terra Firme”, e retrata a longa e penosa espera de um pai pelo filho há vinte anos ausente.

O filme apresenta episódios individuais e memórias da emigração, conduzindo o espetador a um autêntico mergulho na história contemporânea portuguesa e à etnografia rural local. O argumento induz a uma reflexão quase silenciosa em torno da democratização, o encontro e desencontro de pessoas e à recriação humana na procura da liberdade, da democracia e do direito a viver um sonho.

“Erosão” teve o apoio do Município de Fafe e estreou em novembro de 2021, no Teatro Cinema de Fafe. Será exibido no âmbito da Festa do Emigrante no dia 10 de agosto, pelas 21:45.

PARTILHE A NOTÍCIA

LEIA TAMBÉM

PUBLICIDADE

NEWSLETTER

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

REPORTAGEM

POPULARES