Terça-feira, Abril 20, 2021
14.4 C
Braga
InícioRegiãoVila Nova de FamalicãoFamalicão dá apoio extraordinário de 318 mil euros às IPSS do concelho

Famalicão dá apoio extraordinário de 318 mil euros às IPSS do concelho

CM Famalicão

A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão aprovou ontem a atribuição de um apoio financeiro extraordinário, no valor total de 318 mil euros, para ajudar as Instituições Particulares de Solidariedade Social do concelho a fazer face às despesas associadas ao combate e à prevenção da Covid-19.

Aprovado esta quinta-feira na Reunião do Executivo Municipal, este apoio vai chegar mensalmente a 46 IPSS famalicenses, destinando-se sobretudo à comparticipação das despesas inerentes à aquisição de equipamentos de proteção individual.

O apoio será calculado tendo em conta o número de valências protocoladas pelas instituições com a Segurança Social. Assim, às instituições que dispõem de uma valência (4) vai ser atribuído um apoio no valor anual de 3 mil euros e às IPSS com duas a quatro valências (27) vai ser atribuído um apoio anual de 6 mil euros. As instituições que contam entre 5 a 7 valências (12) encontram-se no 3.º escalão e vão receber um apoio anual de 9 mil euros. Restam as IPSS que têm 8 a 9 valências (3), cujo apoio está fixado nos 12 mil euros anuais.

Sobre esta nova medida, o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, diz que é mais uma evidência da capacidade da autarquia de auscultar a realidade. “O setor social é um setor por natureza frágil e ao longo deste percurso, através da monitorização permanente que vamos fazendo, percebemos que é preciso introduzir novas medidas como esta”, refere o autarca.

“A pandemia trouxe custos acrescidos para as nossas instituições e a Câmara Municipal é sensível ao esforço que as IPSS têm feito para continuar a prestar os seus serviços na melhor das condições”, acrescentou o edil.

Recorde-se que o Município de Vila Nova de Famalicão tem no terreno um conjunto de apoios extraordinários para apoio direto a setores que estão a ser fortemente fustigados pelas consequências da pandemia, como é o caso dos setores económico, social, cultural e desportivo.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS

MAIS LIDAS