Quarta-feira, Agosto 10, 2022
26 C
Braga
InícioRegiãoVila Nova de FamalicãoFamalicão cria Plano Municipal “Mais Integrar” para imigrantes

Famalicão cria Plano Municipal “Mais Integrar” para imigrantes

© CM Famalicão

Aumentar o conhecimento da comunidade migrante no concelho de Vila Nova de Famalicão, garantindo uma intervenção social mais eficiente e eficaz na promoção, apoio e integração dos imigrantes é o principal objetivo do Plano Municipal “Mais Integrar” que vai começar a ser implementado no território. O Plano Municipal de Integração de Migrantes de Vila Nova de Famalicão foi aprovado na passada quinta-feira, em reunião do executivo municipal.

Para a vereadora da Interculturalidade e Integração, Sofia Fernandes, “o município de Famalicão tem vindo a desenvolver no terreno um trabalho que visa construir um concelho aberto, diverso e intercultural, numa perspetiva de acolhimento de todas as pessoas, nacionais e estrangeiras, de forma a potenciar a convivência intercultural, o multilinguismo e a diversidade”.

De acordo com a proposta a Câmara Municipal de Famalicão apresentou em 2020 uma candidatura ao Fundo para o Asilo, a Migração e a Integração (FAMI) para a elaboração do Plano Municipal de Integração de Migrantes.

Neste âmbito foi criada uma Plataforma de Acompanhamento do Plano, composta por 17 entidades do município, nomeadamente o ACES – Agrupamento de Centros de Saúde Ave Famalicão; o CHMA – Centro Hospitalar do Médio Ave; a Polícia de Segurança Pública; a Guarda Nacional Republicana de Vila Nova de Famalicão; a Guarda Nacional Republicana de Riba d’Ave; a Polícia Municipal; a Proteção Civil; o IEFP – Instituto de Emprego e Formação Profissional/ Centro Emprego de Vila Nova de Famalicão; a ACT – Autoridade para as Condições no Trabalho/ Delegação Regional; a Segurança Social / Direção Regional da  Segurança Social de Braga; a Associação de Moradores das Lameiras;  o Agrupamento Escolar Camilo Castelo Branco; o Agrupamento Escolar D. Maria II; A Escola Profissional CIOR; a CESPU – Cooperativa de Ensino Superior Politécnico e Universitário; a PSI ON – Associação para a Educação, Desenvolvimento e Intervenção e a AIM – Associação de Integração Multicultural.

Neste momento, o município tem intenção de abrir o acesso a esta plataforma a outras entidades locais que seja pertinente envolver. Para Sofia Fernandes “trata-se de um projeto aberto, dinâmico e flexível”.

No total, o Plano Municipal de Integração de Migrantes de Vila Nova de Famalicão refere um conjunto de vinte medidas, distribuídas por seis eixos essenciais: (1) Acolhimento e Integração; (2) Mercado de Trabalho; (3) Língua, Educação e Formação; (4) Saúde; (5) Habitação e (6) Cultura, Participação e Cidadania.

Refira-se que de acordo com os últimos dados disponíveis dão conta da presença atual de 2.234 estrangeiros com estatuto legal de residente em Famalicão, correspondendo a cerca de 1,7 por cento do total da população residente no concelho. Os estrangeiros distribuem-se por 67 nacionalidades. Sendo os cidadãos com origem no Brasil claramente dominantes (47%) dos estrangeiros), seguem-se as comunidades provenientes da Ucrânia (11% dos estrangeiros) e India (8% dos estrangeiros).

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS

MAIS LIDAS