Empresa de Braga vai oferecer 2500 tablets aos Hospitais Públicos
Terça-feira , Dezembro 1 2020 Periodicidade Diária nº 2652
Principal / Braga / Empresa de Braga vai oferecer 2500 tablets aos Hospitais Públicos

Empresa de Braga vai oferecer 2500 tablets aos Hospitais Públicos

O dstgroup, através da empresa dstelecom, com sede em Braga, é mecenas do projeto “estou“, uma iniciativa da  Associação Semeiabraços que visa combater o isolamento social de doentes internados no Serviço Nacional de Saúde (SNS).

O “estou” pretende oferecer 2500 tablets aos hospitais do SNS, com um software específico que permite realizar chamadas em videoconferência, mesmo por aqueles que estão menos familiarizados com as novas tecnologias, uma vez que este número representa os cerca de 10% dos doentes internados que estimam terem capacidade para efetuar vídeo-chamadas, mas que não dispõem de meios para o fazerem.

O projeto nasceu em plena pandemia da Covid-19, por iniciativa de um grupo de médicos que, preocupados e comovidos com os seus doentes internados em isolamento, decidiram replicar em Portugal o projeto espanhol “Acortando la distancia” (encurtando a distância).

Luísa Machado, profissional de saúde ligada às novas tecnologias,  Cândida Santos, professora na Porto Business School e  André Jacques, especialista em Marketing e Comunicação, lideram o projeto daquela associação sem fins lucrativos que procura mitigar a falta “dos vínculos afetivos, a voz que não se ouve, o sorriso que não se vê, a palavra que não se diz”, uma das realidades mais duras de enfrentar pelos doentes,  idosos e respetivos familiares durante os períodos de internamento e isolamento.

“Com recurso a tablets dotados de um software muito simples, os doentes, com apenas dois clicks, podem fazer uma vídeo-chamada e, para além da voz, também o olhar se associará à comunicação, possibilitando que a linguagem não verbal chegue ao que as palavras não dizem”, adianta a associação. O dispositivo possui um software específico, cedido ao “estou”, que possibilita reduzir as barreiras para os doentes menos familiarizados com as novas tecnologias e aceder ao essencial, combater o isolamento dos doentes internados, ouvir e ver os seus entes queridos.

Sobre os parceiros, a associação destaca o papel da dstgroup que prontamente se disponibilizou para apoiar o projeto. “Uma das primeiras pessoas com quem falámos sobre o projeto foi com o José Teixeira, presidente do dstgroup que, nesse mesmo momento, mobilizou os profissionais da dstelecom a ajudar a pensar o projeto e a contactar com as operadoras de comunicações. O seu apoio foi e é imensurável”, sublinham.