Antibióticos: uma arma poderosa quando bem utilizada
Sexta-feira , Novembro 27 2020 Periodicidade Diária nº 2648
Principal / Opinião / Antibióticos: uma arma poderosa quando bem utilizada

Antibióticos: uma arma poderosa quando bem utilizada

Vitória Rodrigues

A OMS chama à atenção para a necessidade urgente de utilizar de forma adequada os antibióticos e alerta para os riscos da sua utilização excessiva e incorreta, especialmente durante a pandemia de COVID-19, com perigo para o aumento de bactérias multirresistentes “superbactérias” difíceis de tratar e que podem levar à morte.

Os antibióticos são medicamentos usados no tratamento de infeções bacterianas. Têm a capacidade de impedir a multiplicação das bactérias ou de as eliminar e é desta forma que tratam as infeções. No entanto, e ao contrário do que muitos pensam, são ineficazes no tratamento de infeções causadas por vírus, fungos ou parasitas. O uso excessivo e inadequado dos antibióticos pode levar ao aumento das resistências bacterianas e à ineficácia destes medicamentos. Quando os antibióticos não são utilizados corretamente, algumas bactérias podem ser eliminadas, mas as mais resistentes que sofrem mutações, sobrevivem e multiplicam-se. Além de serem mais difíceis de combater podem alterar as bactérias que nos colonizam. As bactérias podem modificar-se quando tomamos antibióticos para tratar infeções ou quando consumimos alimentos que contêm antibióticos. O aumento do consumo de antibióticos, durante a pandemia de COVID-19, e a sua utilização nem sempre adequada poderá agravar a resistência aos antibióticos podendo levar a um aumento de infeções, infeções bacterianas com “superbactérias” que podem ser fatais.

Os antibióticos são uma arma poderosa no combate às infeções bacterianas, mas não são isentos de reações adversas. Além de potenciarem o desenvolvimento de bactérias multirresistentes alteram a nossa microbiota, principalmente a intestinal. A microbiota intestinal, é um conjunto de microrganismos, na sua maioria bactérias, que colonizam o intestino, desde o nascimento e que tem um papel importante na manutenção da nossa saúde e bem-estar. O uso prolongado e indiscriminado de antibióticos pode alterar a diversidade de microrganismos da microbiota intestinal, reduzindo o número das bactérias benéficas e originando um desequilíbrio com aumento das bactérias nocivas para o intestino, a chamada disbiose. A disbiose é uma situação desfavorável que origina distúrbios gastrointestinais e que sido associada a vários problemas de saúde.

Atualmente, os laboratórios dispõem de testes que permitem conhecer a microbiota intestinal de cada individuo e identificar possíveis desequilíbrios. O Estudo Funcional da Microbiota Intestinal da SYNLAB é um teste realizado numa amostra de fezes, que permite verificar o estado da microbiota intestinal e identificar uma possível disbiose, permitindo um diagnóstico preciso e uma abordagem terapêutica adequada e personalizada.

Existem algumas regras que devem ser respeitadas para que os antibióticos continuem a ser eficazes: só devem ser tomados se prescritos pelo médico, nunca por automedicação. Só o médico deve escolher o antibiótico, consoante a situação clínica e a gravidade da infeção. As indicações relativas à dose, duração do tratamento e horários das tomas devem ser rigorosamente respeitadas. Nunca se devem tomar antibióticos que sobraram de outro tratamento, mesmo que se pretenda tratar a mesma doença. Os antibióticos são prescritos para o tratamento de doenças causadas por bactérias e não para as causadas por vírus, como a gripe, fungos ou parasitas.

Artigo de opinião de Vitória Rodrigues, microbiologista Clínica dos Laboratórios SYNLAB.