Sábado, Julho 24, 2021
16.2 C
Braga
InícioAtualidadeAlunos da Universidade do Minho vencem prémio nacional de sustentabilidade alimentar

Alunos da Universidade do Minho vencem prémio nacional de sustentabilidade alimentar

Universidade do Minho

Cinco estudantes da Escola de Economia e Gestão da Universidade do Minho venceram um prémio nacional de inovação por um projeto de sustentabilidade alimentar que junta cozinha, horta e mercado num mesmo espaço – um veículo – e que visa dar mais visibilidade a produtores locais.

O projeto, designado Floreoganhou o Prémio EDP Groundbreaking, distinguindo-se entre os 26 que chegaram à final do Programa Start-Up da Junior Achievement Portugal (JAP).

O trabalho envolve André Machado, Catarina Alves e Sofia Mota, do mestrado em Negócios Internacionais, a par de Pedro Santos e Sofia Cortinhas, do mestrado em Economia Industrial e da Empresa. A ideia consiste num food truck (autocarro) com o piso superior para uma horta hidropónica (cultivo sem solo) e o piso inferior para uma cozinha/restaurante e uma banca de frutas e legumes. Associa ainda uma plataforma online que permite ao cidadão poder comprar produtos frescos a produtores locais parceiros e ainda obter ofertas ou informações, como ver a pegada ecológica dos produtos comercializados.

“Acreditamos numa rede comunitária de alimentação sustentável e no potencial deste projeto no mercado, que sendo itinerante permite chegar a todo o lado”, diz Sofia Mota. A equipa estima ser preciso um investimento inicial de 100 mil euros e que se possa atingir os 50 mil consumidores em cinco anos. Para isso, prevê-se ações de franchising e parcerias, tendo os municípios do Porto, Braga e Guimarães já sido contactados e mostrado interesse no projeto.

Os estudantes promotores fizeram ainda um estudo por questionário, verificando que 70% dos 200 respondentes aceitariam pagar 20% a mais por uma refeição saudável e 60% adquiririam produtos e serviços da Floreo. “Os consumidores estão mais conscientes e nós propomos uma alternativa saudável e sustentável, contribuindo assim de forma ativa para a salvaguarda do planeta e para sensibilizar a sociedade”, refere Pedro Santos. O projeto contou com a orientação do professor Nuno Marques e os alunos procuram agora concretizar o negócio, estando a avaliar fontes de financiamento e outras ações de inovação e empreendedorismo. O prémio que a equipa obteve permite também participar num programa profissional e em workshops da EDP.

A 14ª edição da competição da JAP incluiu a apresentação dos projetos finalistas dos estudantes universitários concorrentes e, de tarde, entrevistas em inglês com o júri. Seguiu-se uma conversa com um painel formado por Tim Vieira, empreendedor e ex-Shark Tank, Fred Fezas-Vital, diretor-geral da JAP, e João Pedro Tavares, presidente do conselho estratégico daquela entidade. Fundada em 1919 nos EUA, a JAP é a maior e mais antiga organização sem fins lucrativos na formação júnior em empreendedorismo, chegando a mais de dez milhões de crianças e jovens por ano em 121 países.

Apoie a Braga TV

O apoio dos nossos leitores é fundamental para garantir que a Braga TV continue a ser um canal de informação de referência na região.

Contribua com o seu donativo para que possamos continuar a dar informação aos nossos leitores.

Apoie aqui.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS

MAIS LIDAS