Quinta-feira, Julho 18, 2024
17.3 C
Braga
PaísSNS alvo de 800 reclamações

SNS alvo de 800 reclamações

DR

No primeiro semestre do ano, foram dirigidas ao SNS perto de 800 reclamações. Demora no atendimento, tratamento clínico indevido são os principais motivos de queixa dos utentes. O maior volume de ocorrências corresponde a casos nas Urgências. O Hospital Beatriz Ângelo, o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra e o Hospital de Santa Maria são as unidades do SNS mais reclamadas, aferiu uma análise do Portal da Queixa.

O mês de junho faz coincidir calendários muito relevantes no setor da Saúde. Esperam-se novas Unidades Locais de Saúde (ULS), o fim do calendário negocial com os sindicatos médicos e o concurso para diretor-geral de Saúde. E como estará a satisfação dos utentes perante os serviços públicos de saúde? Um estudo do Portal da Queixa revela que as reclamações dirigidas aos prestadores de cuidados de saúde do sistema público continuam a aumentar.

Até ao dia 11 de junho de 2023, foram registadas no Portal da Queixa 798 reclamações relacionadas com as entidades públicas do Serviço Nacional de Saúde (SNS).

Segundo indica a análise do Portal da Queixa, entre os principais motivos de reclamação dos utentes dirigidos às entidades de saúde do sistema público estão: a demora no atendimento, a gerar 29,3% das queixas, com casos de utentes a reclamarem da demora para realização do atendimento, agendamento de consultas e exames. O tratamento clínico indevido é o segundo caso mais reportado a absorver 22% das reclamações, com denúncias dirigidas a médicos e enfermeiros que referem tratamento indevido, negligência, descaso, etc. A motivar 20,8% das queixas está o atendimento na receção/administração, referentes a casos sucedidos desde a triagem até ao atendimento realizado por enfermeiros e médicos.

Hospital Beatriz Ângelo lidera queixas

Entre as entidades de saúde do SNS mais reclamadas, 321 queixas são dirigidas aos vários prestadores do sistema público (Unidades Locais de Saúde, Centros de Saúde, Maternidades).

A nível hospitalar, lidera o ranking o Hospital Beatriz Ângelo (47), segue-se o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (33), o Hospital de Santa Maria (26), Hospital de Faro (21), o Hospital de Braga (20), o Hospital Vila Franca de Xira (19), o Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia – Espinho (17), o Hospital Prof. Doutor Fernando Fonseca (16) e Hospital do Espírito Santo Évora (14). Relativamente às emergências médicas, no primeiro semestre do ano, o INEM registou 14 queixas.

30% das queixas geradas nas Urgências

Segundo apurou a análise, 30% das reclamações foram geradas por ocorrências nas Urgências; segue-se a especialidade de Pediatria a recolher 10% das queixas e a Obstetrícia com 7%.

Situações referentes a realização de Exames, acolheram 22% das reclamações apresentadas pelos utentes no Portal da Queixa, durante o primeiro semestre.

Ângelo Carvalho é um dos utentes que registou, em maio, uma reclamação contra o Hospital Pedro Hispano, no distrito do Porto. “Venho por este meio reclamar o facto da utente NR processo 770875 estar desde setembro a receber continuamente mensagens a cancelar consulta de hematologia. A utente fez análises a pedido do centro de saúde e está pior, referindo o médico do centro de saúde que só o médico de hematologia é que faz a prescrição da medicação”, pode ler-se na reclamação.

O SNS regista baixos indicadores de performance no Portal da Queixa face à resolução dos problemas reportados. Na avaliação dos consumidores, o Índice de Satisfação do organismo está pontuado em 10 (em 100), tem uma Taxa de Resposta de 8% e uma Taxa de Solução de 8,4%.

Recorde-se que, no ano de 2022, o Portal da Queixa recebeu mais de 5.000 reclamações dirigidas ao setor da Saúde, com o Serviço Nacional de Saúde (SNS) a liderar com 2.044 queixas registadas (51,25%).

PARTILHE A NOTÍCIA

LEIA TAMBÉM

PUBLICIDADE

NEWSLETTER

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

REPORTAGEM

POPULARES