Terça-feira, Maio 21, 2024
16.7 C
Braga
PaísPortugal brilha no Dance World Cup com 67 medalhas conquistadas

Portugal brilha no Dance World Cup com 67 medalhas conquistadas

© InvestBraga

Portugal sai destacado na maior competição de dança do mundo com 67 medalhas conquistadas no Dance World Cup, que decorreu entre 30 de junho e 8 de julho, no Altice Forum Braga, Theatro Circo e espaços do centro histórico da cidade.

Este sábado, com as últimas competições no Altice Forum Braga e a Gala Final no Theatro Circo, Inglaterra foi premiada com a Taça do Dance World Cup e os portugueses foram a escolha do júri.

A Flash Li Dance School, de Viana do Castelo, foi premiada com a coreografia mais apreciada pelo júri, denominada Tico Tico. Esta honra destaca os bailarinos portugueses entre todas as equipas dos 50 países em competição. Inglaterra venceu a Taça do Dance World Cup, na categoria Júnior e Sénior. Foi o país mais medalhado, mas que também levou mais equipas a competição –70 medalhas de ouro, 68 de prata e 78 de bronze, para um total de 1854 atletas. Portugal ficou classificado em segundo lugar do pódio, com 26 medalhas de ouro, 23 de prata e 18 de bronze, tendo levado 986 atletas a competição. O terceiro lugar foi atribuído à Escócia, com 21 medalhas de ouro, 15 de prata e 26 de bronze. Espanha, Alemanha, África do Sul, Bulgária, Israel e México compõe o painel de melhores classificados.

A escola AM Dance Studio, da Póvoa de Varzim, foi premiada com o primeiro lugar do mundo em várias modalidades: Solo Lyrical, com o bailarino Guilherme Fernandes; Solo Ballet e Solo Contemporâneo, com Martim Amorim; Dueto Acro Dance, com os mesmos dois prodígios; duas premiações em Grupo Grande Acro, com as coreografias La Forza e Mother Nature; e finalmente, Grupo Grande Show Dance, com a eletrizante coreografia que fechou a noite, Rolling on the River. Várias outras honras foram atribuídas a esta equipa, que muito emocionou aqueles que por Braga foram passando.

Martim Amorim, 10 anos, renova o título de campeão mundial, pela segunda vez consecutiva. Na edição do ano passado do Dance World Cup, em San Sebastian, Espanha, conquistou duas medalhas de ouro e uma de prata. Este ano, a história repetiu-se. Ia ouvindo os nomes do pódio “chamaram o terceiro e não fui eu, depois o segundo lugar e também não fui eu, comecei a tremer e depois, sim, ouvi o meu nome”, disse.

Sobre a exigência que lhe é pedida para estas provas e o conciliar com a escola, o bailarino mostra-se confortável com a divisão de atenções. “A minha professora sabe e entende este meu outro lado, o que me permite adaptar as aulas e os testes conforme as provas em que participo”, confessou.

Korinna Sohn, fundadora do Dance World Cup, aquando da entrega de prémios, motivou os bailarinos a prosseguirem este sonho tão exigente. “Muitas vezes, na vida, o medo quer sobrepor-se. E eu acredito que todos vocês o ultrapassaram esta semana e se tornaram os bailarinos mais excecionais neste palco. Esta noite, eles não dançaram apenas com os pés. Eles dançaram com o corpo, com o coração e com a alma. Não podemos pedir mais do que isto. Lembrem-se de onde estão hoje, Estão todos de parabéns”, frisou.

Sameiro Araújo, vice-presidente da Município de Braga, destacou a arte que inundou os espaços bracarenses nestes nove dias. “Em qualquer parte da cidade havia espetáculos improvisados pelos bailarinos. Foi uma semana incrível! A dança, como outras modalidades desportivas, tem pouca divulgação no nosso país, mas por este evento ter vindo a Braga em 2019, fez com que muitos outros jovens começassem a dançar”, referiu.

Neste último dia, Portugal levou o ouro na categoria Júnior Large Group National and Folklore Dance, com a medalhada escola Escola de Dança Eva Vieira de Almeida. Em segundo lugar ficou representada uma equipa inglesa e, logo de seguida, com pontuações muito próximas, a portuguesa Ent´Artes – Escola de Dança, que muito se tem destacado.

“O Dance World Cup trouxe à cidade de Braga e ao Norte de Portugal um impacto económico muito elevado, na ordem dos 30 milhões de euros, para as áreas do alojamento, restauração e comércio em geral. Nos últimos 10 dias foram criadas dinâmicas em toda a cidade com os atletas de muitos países, onde demostravam o brilho e alegria pelo que fazem”, sublinhou Carlos Silva, administrador executivo da InvestBraga.

Esta competição de dança tem vindo a ser organizado desde 2019, pela enorme logística de acomodação de dezenas de milhares de pessoas num ambiente tranquilo para a realização de provas de concentração. “Para o Município e Investbraga é a demostração clara que o projeto do Altice Forum Braga foi uma aposta certa, um espaço agregador de eventos de elevado impacto para a cidade. Este evento, como outros, demonstram a capacidades de Braga, receber, apoiar e organizar grande eventos com visibilidade mundial”, sublinhou Carlos Silva.

O administrador executivo da Agência para a Dinamização Económica de Braga deixou um agradecimento especial à equipa do Altice Forum Braga que esteve a gerir o evento nas diferentes áreas, às equipas da vereação do desporto que organizaram a cerimónia de abertura, bem como à equipa do Theatro Circo. “Não é fácil organizar um evento desta dimensão, mas é recompensador pelas mensagens que fomos recebendo durante todo o evento”, disse.

Já José Olímpio, diretor operacional das Feiras, Congressos e Eventos do Altice Forum Braga, mostra-se extremamente satisfeito com a realização do evento. O Dance World Cup é “mais um bom exemplo da capacidade do Altice Forum Braga como palco de grandes eventos internacionais. Este evento é muito sui-generis na sua orgânica – 9 dias, 7.500 atletas, mais de 15.000 participantes, mais de 65 sessões de espetáculos para o público, mais de 130 horas de plena atividade”.

Esta competição que percorre, anualmente, todo o mundo, decidiu escolher novamente a cidade de Braga, o Altice Forum Braga e o Theatro Circo para a edição de 2023.

O diretor operacional relembra os ensinamentos advindos da edição de 2019. “Analisámos e fizemos um balanço para melhorar a nossa capacidade de acolhimento, hospitalidade e operacionalização. É com imenso orgulho que afirmamos que o evento correu muito bem, com feedback positivo da organização, atletas, treinadores, técnicos e público. Sabemos adaptar as instalações às várias especificidades do cliente, e com a nossa equipa de colaboradores respondemos de forma competente e profissional aos desafios impostos”, acrescentou José Olímpio.

Henrique Martins, diretor comercial de Feiras, Congressos e Eventos do Altice Forum Braga, refletiu sobre o Dance World Cup 2023, que mais uma vez, “encheu de maravilha a cidade de Braga e o Altice Forum Braga. Foram nove dias de competição de alto nível, um espetáculo lindíssimo”. No recinto onde decorreram provas diárias, das 08:30 às 23:30, foram dispostos vários stands de apoio ao público. “Enlevámos o impacto económico no Altice Forum Braga com o Street Food, que recebeu a visita de dezenas de milhares de clientes, os serviços de vending e de cafetaria, que superou, claramente, o meio milhão de euros”, declarou.

Durante os dias de festa, o parque exterior do complexo de eventos esteve permanentemente ocupado, permitindo que os atletas e famílias não tivessem de se deslocar.

Segundo os dados do Posto de Turismo de Braga, “podemos constatar que o setor hoteleiro esteve próximo da ocupação total. Atendemos pessoas que se deslocavam de várias cidades vizinhas com Porto, Santa Maria da Feira, Barcelos entre outras o que potenciou naturalmente um desenvolvimento económico elevado não só para Braga como para a região”. As equipas e famílias ficaram alojadas desde Braga, Viana do Castelo, até ao Fundão, Esposende e Vila do Conde, com reservas efetuadas pela maioria há mais de seis meses.

Luís Ferreira, chefe de divisão de Economia e Turismo de Braga, lembra que “dada a relevância do evento, o Turismo de Braga elaborou um roteiro personalizado de visita com o que ver em três dias, sendo disponibilizado de forma online”.

A empresa turística parceira da organização, Moliné Travel, espanhola, apoiou os atletas na procura de alojamento e transporte até ao Altice Forum Braga. Foram 20 autocarros em trânsito diariamente, com viagens para as mais diversas localidades. A equipa de motoristas foi reforçada com a contratação de oito portugueses e quatro galegos, mas, ainda assim, António Moliné, diretor executivo, afirma que tiveram “dificuldade em encontrar mão de obra disponível”.

Em 2024, o Dance World Cup será realizado em Praga, República Checa.

PARTILHE A NOTÍCIA

LEIA TAMBÉM

PUBLICIDADE

NEWSLETTER

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

REPORTAGEM

POPULARES