Segunda-feira, Junho 14, 2021
29.8 C
Braga
InícioAtualidadeInvestigador da UMinho vence prémio internacional pela sua tese de doutoramento

Investigador da UMinho vence prémio internacional pela sua tese de doutoramento

Carlos Viviani

Carlos Viviani, formado pela Escola de Engenharia da Universidade do Minho (UMinho), venceu o Prémio Kingfar da Associação Internacional de Ergonomia (IEA), pela sua tese doutoral sobre a medição do corpo humano. O galardão – que distingue pela primeira vez um trabalho feito em Portugal – tem o valor de mil dólares e vai ser entregue em junho, no congresso online da IEA.

Carlos Viviani estuda a antropometria, que procura adequar fisicamente os produtos, espaços, equipamentos e roupas à população. Cada país tem tabelas antropométricas próprias, atualizadas regularmente. Na tese realizada a partir do Centro Algoritmi, em Guimarães, Viviani comparou o perfil dos trabalhadores do Chile entre 1995 (os últimos dados públicos) e 2016 (usando uma amostra de 3000 cidadãos). Verificou-se que a estatura média aumentou 20 e 10,5 milímetros por década, respetivamente para mulheres e homens. Houve ainda um aumento geral no peso, massa corporal, quadril, coxas e ombros. Nas mulheres, diminuiu a profundidade do abdómen e a altura entre os olhos e o assento.

“Isto influi na vida diária dos trabalhadores e no design de móveis de escritório, materiais de proteção, maquinaria, espaços industriais ou até assentos dos veículos”, diz Carlos Viviani. O teletrabalho e as novas tecnologias são também uma preocupação, a par da força laboral a envelhecer. A tese premiada, “Antropometria da população adulta ativa e implicações no contexto da ergonomia”, foi orientada por Pedro Arezes (UMinho) e Ignacio Castellucci (Universidade de Valparaíso). Este estudo fez parte do projeto “Antropometria no Chile” e gerou sete artigos em revistas científicas, em parceria com académicos de Portugal, Chile, Holanda e Reino Unido. A presente distinção junta-se ainda ao conjunto de prémios internacionais que o Grupo de Ergonomia e Fatores Humanos do Centro Algoritmi da UMinho tem obtido na última década.

A IEA nasceu em 1959 e é a maior federação de organizações de ergonomia no mundo. Visa a integração multidisciplinar para a promoção do bem-estar laboral e o combate ao trabalho penoso. O seu Prémio IEA/Kingfar destaca anualmente alunos com investigação de grande qualidade em ergonomia e fatores humanos aplicada a países em desenvolvimento industrial. Ou seja, valoriza a pesquisa de problemas e soluções neste ramo em cenários de grande adversidade.

Nota biográfica

Carlos Viviani é licenciado em Ergonomia e Saúde Laboral pela Universidade Maior (Chile), mestre em Ergonomia pela Universidade de Nova Gales do Sul (Austrália), pós-graduado em Gestão de Risco da Indústria Mineira pela Universidade de Queensland (Austrália) e doutor em Engenharia Industrial e de Sistemas pela UMinho. No Chile, leciona nas universidades de Valparaíso, Católica de Valparaíso e Playa Ancha. Pertence à Comissão de Certificação de Especialistas em Ergonomia daquele país, é consultor em instituições públicas e empresas e investiga sobre ergonomia física e cognitiva, bem como usabilidade, conceção e avaliação de sistemas laborais, manipulação de cargas e a fisioterapia.

Apoie a Braga TV

O apoio dos nossos leitores é fundamental para garantir que a Braga TV continue a ser um canal de informação de referência na região.

Contribua com o seu donativo para que possamos continuar a dar informação aos nossos leitores.

Apoie aqui.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS

MAIS LIDAS