Sábado, Abril 13, 2024
23.4 C
Braga
AtualidadeInstituições do Alto Ave vão criar Ecossistema Colaborativo e Multimodal em Saúde

Instituições do Alto Ave vão criar Ecossistema Colaborativo e Multimodal em Saúde

© CM Guimarães

Na manhã desta segunda-feira, na Plataforma das Artes e da Criatividade, em Guimarães, foram assinados os Memorandos de Entendimento para a constituição do Ecossistema Colaborativo e Multimodal em Saúde do Alto Ave, uma cerimónia presidida por Pedro Cunha, presidente do Conselho de Administração da Unidade Local de Saúde do Alto Ave.

Na cerimónia estiveram presentes todos os representantes das entidades que subscreveram os memorandos, nomeadamente a Unidade Local de Saúde (hospitais e centros de saúde), Instituições Académicas e Instituições de Investigação e Desenvolvimento e Inovação (universidades, escolas, centros de investigação),  Terceiro Setor Social, Solidário e da Saúde (misericórdias e irmandades) e Autarquias (municípios e CIM do Alto Ave).

Na apresentação do Ecossistema Colaborativo e Multimodal em Saúde do Alto Ave, Pedro Cunha disse que esta “edificação de uma nova solução em saúde” coloca as Unidades Locais de Saúde como “modelos de organização administrativa e estruturação de cuidados em saúde, de forma a que seja promovida uma verdadeira integração clínica entre Cuidados de Saúde Primários e Cuidados de Saúde Hospitalares”. Este novo modelo permitirá uma restruturação administrativa, financeira e logística das instituições, “uma estratégia académica, de capacitação técnica e formação contínua, associada a um processo de investigação e desenvolvimento e inovação, e maior proximidade na prestação de cuidados”.

De acordo com o presidente da ULS do Alto Ave, são sete as estratégias integradoras e para o futuro: Integração Clínica Efetiva; Rede de Atendimento de Doença Aguda em Proximidade; Novo Regulamento Interno e Estrutura Orgânica; Task Force para os Investimentos e Financiamento; Estrutura Translacional do Conhecimento; Unidade Universitária; Estratégia Colaborativa Multimodal.

O Ecossistema Colaborativo e Multimodal em Saúde beneficiará dos recursos dos distintos domínios que o compõem. Desde logo, as 41 unidades funcionais da ULS que abrangem cerca de meio milhão de utentes, as instituições académica e de IDI que alargarão todo o potencial de ensino, promovendo o aumento significativo dos profissionais de saúde, e que potenciarão a investigação clínica e a atração de investimento científico, as instituições do terceiro setor, que contribuirão para uma estratégia de apoio social articulado e para o alargamento da malha de ação da ULS do Alto Ave, e as autarquias, que serão decisivas para a definição de estratégias para a promoção da saúde, prevenção de doença e envelhecimento ativo, para a criação de um polo de atração de investimento estratégico, para a fixação progressiva de recursos humanos diferenciados, para a modernização e capacitação da ULS nos domínios tecnológico e de recursos humanos.

No final da sessão, interveio Domingos Bragança, presidente da Câmara Municipal de Guimarães e presidente da CIM do Ave, que enalteceu “as qualidades de trabalho e de pensamento estratégico de Pedro Cunha e da sua equipa”, que considera “a pessoa certa para, juntamente com todas as entidades do ecossistema, levar por diante um novo projeto de reestruturação da Saúde no Alto Ave” que beneficiará “de recursos excecionais que a região proporciona”.

O edil fez saber que a” motivação e a envolvência que sentiu de todos os autarcas, e o entrelaçar de todas as instituições é, na sua opinião, um sinal de que o sistema colaborativo contribuirá para melhorar expressivamente a prestação de cuidados de saúde na região, apostando, nomeadamente, na ciência biomédica e de medicina regenerativa,  e no conhecimento cientifico excecional existente na nossa região, para que possa liderar os grandes desafios do século XXI”.

“A nossa sociedade, felizmente, vive mais tempo, e a inovação nos cuidados de saúde é essencial e muito necessária. Mas não é apenas a saúde que está em causa, é também o bem-estar. Este “Ecossistema Colaborativo e Multimodal em Saúde“, hoje protocolado, dá, também, um contributo decisivo para a criação de novas empresas na área da saúde”, disse Domingos Bragança.

PARTILHE A NOTÍCIA

LEIA TAMBÉM

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

REPORTAGEM

POPULARES