Terça-feira, Maio 21, 2024
12.8 C
Braga
BragaIniciativa Liberal contesta encerramento de urgência de obstetrícia em Braga

Iniciativa Liberal contesta encerramento de urgência de obstetrícia em Braga

© Iniciativa Liberal

As urgências de ginecologia e obstetrícia do Hospital de Braga, assim como o seu Bloco de Partos, estarão parcialmente condicionadas durante o mês de agosto, a começar já por este fim de semana. 

A urgência e os blocos de partos estarão condicionados ao longo de todo o dia a 5, 6, 12, 13, 20, 26 e 27 de agosto. Nos dias 4, 11, 19 e 25 a urgência e o bloco de partos só funcionarão até às 08:00. Já nos dias 7, 14, 21 e 28, a urgência e blocos de parto estarão encerrados entre as 00:00 e as 8:00″.

Para a Iniciativa Liberal, “este cenário que se confirma e que é por si só já reincidente, irá obrigar uma vez mais as grávidas e as parturientes da região a deslocar-se a entidades hospitalares como as de Guimarães, Famalicão e Viana do Castelo, causando uma profunda instabilidade a estas mulheres com claro prejuízo para a população da cidade”. 

A Iniciativa Liberal relembra “os vários alertas que noticiámos já desde 2021, onde, na altura, se deu início aos variados problemas com o pessoal da urgência do hospital de Braga – desde chefias insatisfeitas, a uma taxa de inoperacionalidade fora do normal – depois de o Hospital ter deixado de possuir uma gestão privada”.  

O partido lamenta que “os cenários que são agora públicos e confirmados pelo próprio Hospital não podem deixar de ser expectáveis, com a agravante de ser um episódio recorrente e sem aparente resolução”. 

A Iniciativa Liberal informou que o partido e o seu grupo de coordenação local de Braga irão continuar a acompanhar o processo e farão “de tudo para garantir que as medidas necessárias sejam tomadas para que o Hospital de Braga possa a garantir os acessos básicos de saúde à sua população, acessos esses que estão continuadamente a ser postos em causa desde a mudança de gestão do Hospital, em que este passou então exclusivamente para as mãos do Estado”.

PARTILHE A NOTÍCIA

LEIA TAMBÉM

PUBLICIDADE

NEWSLETTER

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

REPORTAGEM

POPULARES