Quinta-feira, Abril 25, 2024
12.2 C
Braga
PaísIKEA lança linha de apoio para vítimas de violência doméstica

IKEA lança linha de apoio para vítimas de violência doméstica

© IKEA

No âmbito do Dia Internacional da Mulher, a IKEA Portugal junta-se, pelo segundo ano consecutivo, à Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género para apoiar as vítimas de violência doméstica. Este ano, com o mote de apoiar e incentivar ao pedido de ajuda, lançou a campanha “Recomeços”, composta por duas iniciativas.

A partir de hoje, 8 de março, a IKEA torna a sua Linha de Apoio ao Cliente numa linha de informação e apoio às vítimas de violência doméstica. Ao ligar para a IKEA, as vítimas poderão selecionar o reencaminhamento para o Serviço de Informação a Vítimas de Violência Doméstica que garante o atendimento por uma equipa técnica especializada, de forma anónima e confidencial.  Desta forma, ao ligar, a chamada fica registada como sendo para a IKEA, garantindo uma maior confidencialidade e proteção da vítima.

No âmbito da campanha “Recomeços”, a IKEA lança, também, um fundo de apoio à autonomização, no valor de 12.000 euros, destinado às mulheres que estão temporariamente acolhidas em Casas de Abrigo da Rede Nacional de Apoio às Vítimas de Violência Doméstica. O objetivo deste fundo é que, quando reunidas todas as condições de segurança, estas mulheres possam recomeçar as suas vidas, numa habitação própria, e pagar as rendas iniciais. A atribuição dos apoios será responsabilidade da CIG e dirige-se apenas às mulheres que se encontram já em processo de autonomização.

Cláudia Domingues, diretora de comunicação da IKEA Portugal, afirma que “a luta contra a violência doméstica é um tema que temos apoiado ativamente ao longo dos anos. Acreditamos que uma vida melhor começa em casa e que esta tem de ser, antes de mais, um lugar seguro. Este ano, decidimos manter o foco no recomeço: estas mulheres, muitas vezes com os filhos, têm o direito a recomeçar as suas vidas, de forma segura e confortável. Conseguir apoiar pessoas nestas situações complexas, numa nova casa, que simboliza esperança, segurança e recomeço, deixa-nos muito orgulhosos”.

“Este fundo é uma grande ajuda ao apoio contínuo que a Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género providencia às mulheres que tomaram a decisão de começar uma nova vida, longe de um ambiente abusivo. O mercado de arrendamento tem registado uma grande inflação, com preços difíceis de suportar e tem tido um impacto enorme na capacidade de autonomização destas mulheres que são obrigadas a recomeçar. Através deste apoio financeiro ao arrendamento conseguimos ajudar a fazer face às despesas iniciais com a habitação”, afirma Marta Silva, da Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género.

Estas iniciativas decorrem no seguimento do Pacto contra a Violência, assinado entre a Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género e a IKEA, em 2021.

“Recomeços” tem o objetivo de chamar a atenção para esta problemática que impacta maioritariamente mulheres e as tornam as principais vítimas. Segundo os dados mais recentes do Portal de Violência Doméstica, de outubro a dezembro de 2022, a Rede Nacional de Apoio a Vítimas de Violência Doméstica, acolheu 1504 pessoas. das vítimas adultas, 96% eram mulheres. Do total de pessoas acolhidas, 51,5% eram crianças que acompanharam as suas mães.

As vítimas ou testemunhas de violência, podem pedir ajuda através da Linha de Apoio ao Cliente da IKEA  através do número 21 989 99 45.

PARTILHE A NOTÍCIA

LEIA TAMBÉM

NEWSLETTER

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

REPORTAGEM

POPULARES