Segunda-feira, Abril 22, 2024
18.7 C
Braga
BragaHabitantes de urbanização em Braga rejeitam mudança de freguesia e avançam para...

Habitantes de urbanização em Braga rejeitam mudança de freguesia e avançam para Tribunal

© UF Merelim São Pedro e Frossos

Convictos de que residem em Frossos, Braga, e após terem sido surpreendidos com o que consideram ser uma “tomada de assalto” por parte da União de Freguesias de Merelim São Paio, Panóias e Parada de Tibães, que da noite de 13 para 14 de outubro substituiu a toponímia das ruas do loteamento Quinta do Ribeiro, considerando-o território de Panóias, os moradores vão agora avançar pela via judicial.

Os habitantes da Quinta do Ribeiro consideram que vivem em Frossos e não em Panóias. Os moradores reuniram, esta sexta-feira à noite, no salão da União de Freguesias de Merelim São Pedro e Frossos, onde receberem aconselhamento e esclarecerem dúvidas com os advogados que os defenderá no processo judicial que vão mover.

© UF Merelim São Pedro e Frossos

“Estamos aqui reunidos com o objetivo de defendermos pela via legal a nossa convicção. Nós vivemos e somos de Frossos. Há moradores que moram aqui há mais de 25 anos. Toda a nossa vida foi feita em Frossos. Uma vez mais, com cerca de 150 moradores reunidos a uma sexta-feira à noite, demonstrámos que não vamos desistir e que lutaremos para continuarmos a ser moradores de Frossos e não de Panóias”, disse José Pinto, presidente da Assembleia da Associação de Moradores da Quinta do Ribeiro.

Por seu turno, Adélia Silva, presidente da União de Freguesias de Merelim São Pedro e Frossos, voltou a manifestar “apoio total” à causa. “Para nós, as pessoas não são números. Não se pode mudar a vida de cerca de 400 pessoas do dia para a noite, esquecendo as suas identidades. Estes assuntos são sérios, não podem ser tratados de acordo com interesses e ambições pessoais. Estamos a dar todo o apoio necessário na expectativa de reverter o mais rapidamente possível esta situação. Estas pessoas têm uma ligação social, religiosa, cultural e afetiva a Frossos, freguesia que consideram ser o lugar onde vivem e onde sempre viveram”, sustenou Adélia Silva, apelando “ao sentido de responsabilidade de todos os envolvidos”.

© UF Merelim São Pedro e Frossos

“Como já referi anteriormente, nunca abandonámos este território. Prova disso têm sido os serviços que a Junta de Merelim São Pedro e Frossos tem prestado à população deste loteamento, sem nunca ter recebido verbas ao abrigo do contrato-programa de Delegação de Competências. Estas verbas estão a ser entregues, de forma errada, à freguesia vizinha”, sublinhou Adélia Silva.

PARTILHE A NOTÍCIA

LEIA TAMBÉM

NEWSLETTER

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

REPORTAGEM

POPULARES