Sexta-feira, Junho 14, 2024
16.2 C
Braga
RegiãoGuimarãesGuimarães integra Rede de “Cidades e Vilas que Caminham”

Guimarães integra Rede de “Cidades e Vilas que Caminham”

Protocolo de adesão assinado entre o Município de Guimarães e o Instituto de Cidades e Vilas com Mobilidade.

© CM Guimarães

Foi na tarde de sexta-feira que foi assinado o protocolo de adesão do Município de Guimarães à Rede de “Cidades e Vilas que Caminham”, que pretende desenvolver ações conjuntas para aumentar o conhecimento e competências a quem planeia, projeta e toma decisões nas áreas da mobilidade pedonal e no desenho do espaço público.

Na sua intervenção, Domingos Bragança, presidente da Câmara de Guimarães, referiu que este protocolo “representa um compromisso firme com o desenvolvimento urbano sustentável, centrado na mobilidade pedonal e no design do espaço público”.

Através desta parceria, o edil demonstra-se “comprometido em fortalecer as condições para caminhar, promovendo uma melhor qualidade de vida urbana e estimulando o comércio local ao ar livre e as interações sociais que, espontaneamente, ocorrem, sem descurar os próprios impactos ambientais, como a redução das emissões de gases poluentes”.

Os objetivos da Rede para os Municípios que a integram incluem o fortalecimento das condições para caminhar na cidade e em áreas habitadas, a melhoria da qualidade de vida urbana, o enriquecimento das relações sociais, a promoção da saúde pública, a utilização universal do espaço público, o estímulo ao comércio local ao ar livre, o apoio à economia circular, a redução das emissões de gases poluentes, a promoção da igualdade de género, o aumento da intermodalidade e a melhoria da segurança para pedestres e veículos.

Para atingir esses objetivos, a rede realizará diversas atividades, como a promoção de formações técnicas certificadas, a criação de um Seminário Permanente de Espaço Público online, a organização de congressos nacionais e participação em eventos internacionais relacionados ao tema, a concessão de prémios, a divulgação de boas práticas, entre outras. Os municípios-membros têm ainda direitos como participar em formações técnicas, aceder a recursos online, concorrer a prémios, solicitar avaliações e acesso a materiais de sensibilização e informação.

PARTILHE A NOTÍCIA

LEIA TAMBÉM

PUBLICIDADE

NEWSLETTER

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

REPORTAGEM

POPULARES