Segunda-feira, Abril 22, 2024
14.9 C
Braga
RegiãoGuimarãesGrupo de Guimarães leva energia a mais de 170 mil pessoas em...

Grupo de Guimarães leva energia a mais de 170 mil pessoas em Angola

O Grupo MCA instalou 45 mil painéis solares em Angola.

© Grupo MCA

O Ministério da Energia e Águas inaugurou esta terça-feira o Parque Fotovoltaico de Saurimo, em Angola, construído pelo Grupo MCA, de Guimarães, com uma potência instalada de 26,13 megawatts (MW) que irá produzir eletricidade “verde” para abastecer mais de 170 mil pessoas.

Em comunicado, o Grupo MCA refere que esta integração permitirá “um maior aproveitamento conjunto da produção da central hídrica de Chicapa, que, em parceria com a nova central fotovoltaica, irá conduzir a uma redução significativa de consumo de diesel devido ao menor funcionamento das centrais térmicas”.

O projeto construído pelo Grupo MCA, em consórcio com a norte americana Sun Africa para o Governo de Angola, faz parte de um conjunto de sete parques solares fotovoltaicos, totalizando uma capacidade de 370 megawatts (MWp). Esta energia é suficiente para fornecer mais de dois milhões de pessoas, com a particularidade de ser uma energia “limpa”, evitando a emissão de mais de 900.000 toneladas de CO2 por ano.

Manuel Couto Alves, Chairman do Grupo MCA, considera que “desde o início que abraçamos com grande entusiasmo a estratégia do governo angolano de eletrificação do país. Além de ser um grande desafio operacional, identifica-se com a nossa cultura empresarial. A conclusão de mais esta etapa neste grande projeto, composto por sete parques fotovoltaicos, é um orgulho para nós. Demonstra, uma vez mais, a qualidade dos nossos serviços e das pessoas MCA, que todos os dias contribuem para construir um mundo melhor. Nos projetos em que estamos envolvidos, utilizamos a melhor tecnologia, aplicamos as melhores soluções de energia limpa para contribuirmos para melhoria da qualidade de vida das comunidades”.

© Grupo MCA

Inserido no Plano Angola 2025 do governo local, o projeto de eletrificação de zonas rurais tem como objetivo diversificar a matriz energética do país e contribuir para a redução anual de emissões poluentes em cerca de um milhão de toneladas de dióxido de carbono. As províncias de Benguela, Huambo, Bié, Lunda-Norte (em Lucapa) e Moxico (em Luena) deverão ter os parques operacionais até ao final deste ano.

Com um custo de 38,8 milhões de euros, a empreitada agora entregue, comporta um total de 44.850 painéis solares e irá produzir mais de 49.000 MWh/ano. De forma a escoar a energia produzida, será construída uma linha de média tensão de 15 kV que fará a ligação entre o parque solar e posto de secionamento que estará preparado para as futuras ligações dos postos de secionamento de Tchicumina, Nhama e a interligação da linha da Hidrochicapa. Esta solução permite uma poupança de mais de 19 milhões de litros de combustível por ano e reduz emissões de mais de 68 toneladas de CO2 por ano.

PARTILHE A NOTÍCIA

LEIA TAMBÉM

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

REPORTAGEM

POPULARES