Segunda-feira, Janeiro 30, 2023
8.5 C
Braga
InícioCulturaGnration começa novo ano com espetáculo audiovisual de Kathy Hinde

Gnration começa novo ano com espetáculo audiovisual de Kathy Hinde

© Ashutosh Gupta

Na sexta-feira, o gnration, em Braga, começa o novo ano com um espetáculo audiovisual da artista britânica Kathy Hinde.

Kathy Hinde é uma artista audiovisual que procura cultivar uma ligação forte com outras espécies e sistemas ecológicos do planeta Terra. Desenvolve instalações e performances, e trabalha frequentemente com outros profissionais e cientistas. Em Twittering Machines, Hinde explora um novo e duplo sentido do “tweet”, procurando demonstrar como a comunicação tecnológica tem ameaçado o sentido original da palavra, da mesma forma que os seres humanos têm ameaçado o habitat natural dos pássaros. Em palco, a artista reproduz um vinil com uma versão em código morse do poema Ode to a Nightingale, de John Keat, ao qual junta caixas de música, brinquedos que imitam pássaros e outros objetos manipulados ao vivo. Distinguido com o Prémio Sound Art 2020 da prestigiada Ivors Academy, Twittering Machines foi já apresentado em festivais de referência como o Mutek ou L.E.V. Festival. Hinde apresenta-o em Braga, pelas 22:00, na blackbox. Os bilhetes custam 5 euros.

Até ao final deste trimestre, o programa artístico do gnration receberá ainda concertos de Mão Morta (20 jan), que vão subir ao palco com o saxofonista Pedro Sousa; o encontro único que volta a reunir os portugueses First Breath After Coma e Noiserv (11 fev); o programa de apoio à criação artística Trabalho da Casa volta a ser palco privilegiado para artistas locais e dá agora a conhecer Modified Liberation, o novo disco do duo bracarense de música eletrónica e post-punk NO!ON (18 fev); a 25 de fevereiro, o guitarrista, compositor e investigador eletroacústico italiano Stefano Pilia explora no seu terceiro e mais recente disco a solo Spiralis Aurea, acompanhdo em palco pelo conceituado músico e produtor britânico Adrian Utley (Portishead) e Alessandra Novaga, guitarrista natural de Milão com formação clássica; após um período de longa ausência dos palcos, causado por uma relação abusiva que terminou com o suicídio do seu companheiro, a cantora folk norte-americana Nina Nastasia está de regresso com Riderless Horse, um dos discos deste 2022 — atua em Braga a 10 de março; a 17 de março, Alex Zhang Hungtai, anteriormente conhecido como Dirty Beaches, regressa aos palcos, agora ao piano e saxofone, abrindo horizontes para um novo futuro; a fechar o programa de música para jan-mar, o violinista e compositor Owen Pallett e a banda The Hidden Cameras juntam-se numa digressão pela Europa para celebrar o vigésimo aniversário de The Smell of Our Own (2003), disco histórico da cena de Toronto do início do milénio, que Pallett descreve como “um momento de celebração nas nossas vidas” — os dois concertos acontecem na noite de 24 de março e os bilhetes custam 9 euros.

No programa expositivo, o gnration dará a conhecer novas exposições na galeria gnration e galeria INL. Esta sexta-feira, 13 de janeiro, Gesto & Síntese, nova exposição que junta Diogo Tudela, artista, investigador e professor, com prática artística focada nas tecnologias de síntese e manipulação vocal como tácitas de retro-bioengenharia, e a Supernova Ensemble, coletivo artístico dedicado à música inovadora nas áreas performativas, novas media e artes sonoras. A exposição, que poderá ser visitada gratuitamente de 13 de janeiro a 14 de abril, é formada por dois geradores de ondas construídos como instalações de som independentes e como instrumentos utilizados como parte da peça ao vivo.

Já na galeria INL, desenvolvida em contexto de residência artística no INL – Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia no âmbito do programa Scale Travels, o gnration dará a conhecer Análise de um Paraíso Fugaz, novo trabalho colaborativo de Mariana Vilanova, artista portuguesa radicada no Porto que expõe regularmente desde 2016, e Marcelo Reis, artista plástico e produtor musical. Esta instalação explora a forma como acreditamos, cada vez mais, na salvação através da tecnologia, da mesma forma que acreditamos na salvação através da fé em Deus. A exposição inaugura a 11 de fevereiro e estará patente até 6 de maio. A entrada é gratuita.

Com foco no programa online, o ciclo de programação órbita trará mais dois novos trabalhos sessões, resultantes de encomendas artísticas que estabelecem pontes com o programa presencial do gnration, nos domínios da música, arte e tecnologia. A 25 de janeiro, a artista media portuguesa Cloud333ah dá a conhecer Internet Phase e a 22 fevereiro, Ry Vuh, um grupo radical de trabalho sobre a beleza formado por Jorge Coelho, na guitarra, Jorge Queijo, na bateria, e João Guedes, nas imagens, apresenta João Lurie. Os trabalhos serão exibidos no site do gnration, canal YouTube e redes sociais.

Os bilhetes para o trimestre podem já ser adquiridos aqui, balcão gnration e locais habituais.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS

MAIS LIDAS