Segunda-feira, Abril 22, 2024
23.9 C
Braga
RegiãoVila Nova de FamalicãoFamalicão vai adquirir parte da Sampaio Ferreira para transferir o Museu da...

Famalicão vai adquirir parte da Sampaio Ferreira para transferir o Museu da Indústria Têxtil

© CM Famalicão

A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão vai adquirir e reabilitar parte do desativado parque industrial Sampaio Ferreira, em Riba de Ave, para onde será transferido o Museu da Indústria Têxtil da Bacia do Ave (MIT), entre outros serviços.

A proposta de aquisição de uma fração com uma área de implantação de quase 4 mil metros quadrados e um logradouro de 1235 m² daquela que foi uma das primeiras unidades fabris do Vale do Ave, pelo valor de 354 mil euros, foi aprovada esta quinta-feira, 9 de fevereiro, na reunião do executivo municipal.

O avanço da reconversão da unidade industrial Sampaio Ferreira deixa o presidente da autarquia famalicense “muito satisfeito”. Mário Passos fala num “ato de justiça que honra a história da vila de Riba de Ave”, acrescentando que a Câmara Municipal “não pode deixar que imóveis como este, cuja identidade e história se fundem com a identidade do próprio concelho, sejam abandonados e remetidos para segundo plano”.

Recorde-se que a fábrica Sampaio Ferreira, em Riba de Ave, foi uma das primeiras unidades fabris do Vale do Ave construída pelo empresário Narciso Ferreira e implantada numa área de cerca de 35 mil metros quadrados.

Sobre a decisão de transferir as atuais instalações do MIT, em Calendário, alugadas mensalmente pelo valor de 7.500 euros, para a histórica fábrica de Riba de Ave, Mário Passos lembra “a relação umbilical” que une a vila ao setor Têxtil.

“Riba de Ave é o berço da indústria têxtil e esta transferência honra também o MIT e o trabalho valiosíssimo que tem feito na valorização e preservação do nosso património”, acrescenta o edil.

A autarquia está “determinada e empenhada em fazer renascer das cinzas o legado industrial devoluto de Riba de Ave devolvendo à vila o fulgor, a prosperidade e a qualidade de vida que se vivia no início do século XX, quando o dinamismo económico era tal que a freguesia se destacava a nível nacional”.

PARTILHE A NOTÍCIA

LEIA TAMBÉM

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

REPORTAGEM

POPULARES