Segunda-feira, Dezembro 6, 2021
11.2 C
Braga
InícioRegiãoVila Nova de FamalicãoFamalicão avança com candidatura para a requalificação da USF de Requião

Famalicão avança com candidatura para a requalificação da USF de Requião

CM Famalicão

A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão vai estabelecer um protocolo com a Administração Regional de Saúde do Norte para a requalificação e ampliação da Unidade de Saúde Familiar Antonina, na freguesia de Requião.

O Contrato-Programa a outorgar entre o Município de Famalicão e a ARS Norte foi aprovado na reunião da passada quinta-feira do executivo famalicense e vai agora servir de base para a apresentação de uma candidatura a fundos europeus, no âmbito do programa operacional Norte 2020.

A USF Antonina de Requião ocupa atualmente um edifício localizado na Alameda do Mosteiro. Para além da evidente melhoria das condições infraestruturais, pretende-se também a expansão da unidade de cuidados de saúde primários que passará a ocupar os dois pisos do atual edifício e ainda aquisição de novos equipamentos.

No final da Reunião de Câmara, Paulo Cunha, presidente da Câmara Municipal, explicou que a obra “só será possível por força deste protocolo” e será financeiramente suportada pela Câmara Municipal com apoio de fundos comunitários.

“Só há dois caminhos: ou a Câmara Municipal se envolve e o edifício é reabilitado ou não se envolve e a intervenção não acontece”, explicou.

O edil realçou que a Autarquia tem alertado para a necessidade da realização de mais intervenções do género em vários centros de saúde do concelho, apontando como exemplo os casos de Fradelos, Joane, Ruivães, São Cosme e da USF da cidade.

“Apesar de ser uma responsabilidade do Estado português”, Paulo Cunha garantiu que a Câmara Municipal está disponível para custear mais intervenções do género, desde que o governo português disponibilize fundos comunitários para essas obras à semelhança do que vai acontecer em Requião.

Sobre a descentralização de competências no setor da saúde, o autarca famalicense lembrou que “descentralizar não é só passar para as Câmaras Municipais a gestão dos edifícios. É preciso que as autarquias tenham uma real influência na melhoria dos cuidados de saúde”.

Teste BTV

Apoie a Braga TV

A Braga TV precisa do seu contributo, caro leitor.

Contribua com o seu donativo para que possamos continuar a dar informação aos nossos leitores.

Apoie aqui.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS

MAIS LIDAS