Sexta-feira, Junho 14, 2024
16.7 C
Braga
RegiãoEsposendeEsposende começa escavações arqueológicas no Forte de S. João Baptista

Esposende começa escavações arqueológicas no Forte de S. João Baptista

Para instalação do Centro de Divulgação Científica e do Instituto Multidisciplinar de Ciência e Tecnologia Marinha.

© CM Esposende

Já arrancou o processo de instalação do Centro de Divulgação Científica no Forte de S. João Baptista, em Esposende, que prevê, também, a criação do Instituto Multidisciplinar de Ciência e Tecnologia Marinha (IMCTM) na antiga Estação Radionaval de Apúlia.

Considerando a intervenção prevista para o Forte de S. João Baptista, foram efetuados, em 2023, trabalhos de prospeção geofísica, no sentido de “aferir a existência, ou não, de vestígios que possam condicionar o desenvolvimento do projeto de reabilitação e ampliação do Forte, bem como a tipologia e dimensão de futuros trabalhos arqueológicos”.

Essa prospeção permitiu “determinar a presença de anomalias que podem corresponder a infraestruturas recentes”. Por outro lado, “foi possível detetar uma anomalia que parece sugerir a presença de um muro com derrube em frente ao forte e uma outra anomalia, no lado Sueste da entrada forte”, que poderá estar associada a uma possível linha amuralhada que surge representada no desenho do Forte de S. João Baptista de Esposende, da autoria de Gonçalo Luís da Silva Brandão, datado de 1757.

Assim, serão realizadas escavações arqueológicas nos locais sinalizados pela prospeção geofísica que permitirão “verificar se há ou não vestígios em torno do Forte para, posteriormente, se poder avançar com o lançamento do concurso para a execução das obras tendentes à instalação do Centro de Divulgação Científica, um ambicioso e determinante projeto que irá afirmar Esposende na área da investigação e tecnologia marinhas, o qual já mereceu parecer favorável das entidades com jurisdição sobre o território”.

Para tal, estão em curso os trabalhos preparatórios para que as escavações possam ter início na próxima segunda-feira, numa codireção entre o Município de Esposende e a ERA Arqueologia S.A., empresa responsável pela execução dos trabalhos. A intervenção irá decorrer durante seis meses, com um custo de 25.830 euros, a que se soma o valor de 7.361,55 euros da prospeção geofísica por georradar.

O Presidente da Câmara Municipal de Esposende, Benjamim Pereira, realça que “estamos mais perto de tornar realidade o projeto do Centro de Divulgação Científica, um equipamento que catapultará Esposende para o centro das atividades ligadas à investigação e tecnologia marinhas”. O autarca nota que “tem sido um processo moroso”, mas salienta que “está tudo bem encaminhado para a sua concretização”.

PARTILHE A NOTÍCIA

LEIA TAMBÉM

PUBLICIDADE

NEWSLETTER

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

REPORTAGEM

POPULARES