Sábado, Agosto 13, 2022
16.7 C
Braga
InícioRegiãoGuimarãesCrianças no centro das preocupações para a construção das políticas públicas em...

Crianças no centro das preocupações para a construção das políticas públicas em Guimarães

© CM Guimarães

O Plano de Ação Local (PAL) do Programa Guimarães Cidade Amiga das Crianças assenta no princípio da participação ativa das crianças na construção das políticas públicas para a infância no Município. Para executar e monitorizar a implementação deste plano foi constituído um modelo de governação que integra um conjunto de elementos que garantem que as crianças e jovens são chamadas aos processos de avaliação e de decisão sobre os seus direitos de provisão e proteção.

Na sexta-feira decorreu a reunião de apresentação e operacionalização da plataforma digital de submissão de atividades que visa divulgar todas as atividades desenvolvidas com crianças e para crianças em Guimarães, pelas várias entidades existentes no concelho. Esta plataforma permitirá também um melhor acompanhamento, monitorização e avaliação do trabalho desenvolvido com as crianças e que se reflete numa newsletter que agrega contributos das instituições e é partilhada pela comunidade em geral.

A vice-presidente da Câmara Municipal de Guimarães, Adelina Pinto, salientou que “em Guimarães, as crianças são o foco das nossas preocupações”, advertindo para a necessidade de “pensar o presente das crianças e não o futuro, porque o futuro só é possível quando existe o presente. Temos de pensar as crianças no dia de hoje e ouvir aquilo que elas pensam, para voltarem ao “ser” em vez de “ter”. Adelina Pinto sublinhou a importância de contar com a participação dos jovens e crianças na construção de políticas públicas, através de “um maior envolvimento” reconhecendo que para tal “temos de fazer uma mudança estrutural na nossa forma de pensar, de estar e de definir políticas”.

A vereadora da Ação Social, Paula Oliveira, destacou o reconhecimento de Guimarães como “Cidade Amiga das Crianças” através da UNICEF. “Este é um trabalho que estamos a desenvolver ao longo dos últimos anos, passamos por uma fase delicada de pandemia, e vamos cimentar estas ferramentas com a colaboração das várias entidades, parceiros, escolas e instituições que estão envolvidas nesta causa”, salientou. Paula Oliveira apontou que “a participação das crianças é importante para aspetos de melhoria que devem ser transformados no concelho de Guimarães”.

Neste Plano de Ação Local participam diversas entidades e instituições, integrando diferentes eixos de ação, que são devidamente monitorizados por coordenadores formados para o efeito: Participação Cívica e Política (Sérgio Gonçalves); Bem-estar Social (Armando Guimarães); Território e Ambiente (Carlos Ribeiro); Relações Interpessoais (Tânia Salgado); Cultura, Lazer e Desporto (Ivone Gonçalves) e ainda Educação (Vânia Silva).

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS

MAIS LIDAS