Terça-feira, Maio 11, 2021
7.8 C
Braga
InícioRegiãoCabeceiras de BastoCabeceiras de Basto recolheu 32 toneladas de resíduos diversos em lixeiras clandestinas

Cabeceiras de Basto recolheu 32 toneladas de resíduos diversos em lixeiras clandestinas

CM Cabeceiras de Basto

A Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto recolheu, desde o início do ano, cerca de 32 toneladas de resíduos de múltiplas características e dimensões, incluindo monos, entulhos e outros resíduos de construção e demolição em lixeiras clandestinas referenciadas em alguns locais do concelho.

Esta ação foi planeada e coordenada pelos serviços municipais da Divisão de Ambiente e Salubridade com o objetivo de intervir nos locais mais afetados pela deposição clandestina de resíduos de grandes dimensões. A iniciativa possibilitou a limpeza daqueles espaços, permitindo a melhoria da qualidade ambiental e paisagística.

De acordo com a legislação em vigor, é proibida a deposição de lixo nos locais não licenciados para o efeito, constituindo contraordenação ambiental muito grave sujeita a uma coima entre os 20 mil e os 37.500 euros ,se praticado por pessoas singulares, e a uma coima entre os 38.500 euros e os 2.500.000 euros, se praticado por pessoas coletivas.

O Município de Cabeceiras de Basto possui um serviço gratuito de recolha de monos, bastando que os interessados o solicitem junto do Serviço de Atendimento Único (SAU). Caso queiram depositar diretamente no Centro de Recolha de Monos, existente nas instalações das futuras Oficinas Municipais, na Ranha, podem fazê-lo entre as 8:30 e as 13:30 nos dias úteis.

A Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto apela ao sentido cívico da população para não depositar nem abandonar os monos na via pública, na berma das estradas ou nas ribanceiras.

Apoie o jornalismo.

A Braga TV é um canal de informação independente. Todas as notícias e conteúdos são e continuarão a ser disponibilizados gratuitamente.

Para continuar a oferecer um serviço de informação de referência na região, precisamos do apoio dos nossos leitores para continuar a desempenhar o nosso papel de informar.

Precisamos do seu contributo, caro leitor.

Apoie aqui.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS

MAIS LIDAS