Terça-feira, Novembro 29, 2022
9.5 C
Braga
InícioBragaBraga investe mais de 300 mil euros na ampliação do cemitério de...

Braga investe mais de 300 mil euros na ampliação do cemitério de Adaúfe

© CM Braga

O presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, inaugurou esta segunda-feira as obras de ampliação do cemitério de Adaúfe, num investimento da Autarquia superior a 300 mil euros. A intervenção surgiu da necessidade de ampliação do cemitério da Junta de Freguesia de Adaúfe, uma vez que a lotação deste espaço atingiu o limite das suas capacidades.

O projeto possibilitou a construção de 98 sepulturas e 60 ossários/columbários, resultando num aumento considerável de lugares para os obituários.

© CM Braga

“Este é um projeto há muito ansiado pela população e é fundamental para a freguesia de Adaúfe, cujo cemitério original atingiu o limite da capacidade de acolhimento. Normalmente este tipo de investimento não é muito valorizado, mas é crucial para o espírito de comunidade e neste projeto houve a preocupação de tornar este espaço mais aprazível e com uma arquitetura contemporânea”, referiu Ricardo Rio durante a cerimónia de inauguração, na presença de Abel Gomes, presidente da Junta de Freguesia de Adaúfe.

Lembrando que “este projeto foi iniciado na gestão do anterior executivo de Adaúfe e concretizado agora durante este novo mandato”, Ricardo Rio destacou o investimento municipal efetuado nas freguesias do concelho como “um sinal de uma aposta clara no desenvolvimento do território”.

Abel Gomes,destacou a importância desta obra para a feguesia de Adaúfe, numa altura em que o cemitério deixou de ter sepulturas disponíveis. “Trabalhamos com a Câmara, com o arquiteto e com os técnicos para concluir a obra atempadamente. Hoje mesmo deixamos de ter campas disponíveis e sem esta expansão não teríamos margem de manobra”, referiu o presidente da Junta, agradecendo “o apoio da autarquia bracarense na concretização deste projeto”.

A ampliação do cemitério pretendeu desenvolver uma nova matriz que ordena e valoriza o lugar de preservação e evocação da memória dos entes queridos já falecidos, sem as amarras de uma linguagem arquitetónica que no passado serviu de influência ao desenvolvimento dos cemitérios.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS

MAIS LIDAS