Braga com trânsito encerrado na Rua D. Gonçalo Pereira até ao final do verão
Domingo , Novembro 29 2020 Periodicidade Diária nº 2650
Principal / Braga / Braga com trânsito encerrado na Rua D. Gonçalo Pereira até ao final do verão

Braga com trânsito encerrado na Rua D. Gonçalo Pereira até ao final do verão

O Município de Braga vai encerrar ao trânsito a Rua D. Gonçalo Pereira até ao final do verão. Esta medida, que entra em vigor na sexta-feira, 24 de julho, surge no âmbito do “Braga de Porta Aberta”, que permite o alargamento temporário do espaço público destinado às esplanadas e aos peões.

De acordo com a Câmara Municipal, a medida vem responder aos anseios dos comerciantes e moradores daquela artéria do centro histórico da cidade. “Com a proibição de trânsito automóvel na Rua D. Gonçalo Pereira vamos alargar a área pedonal, promovendo uma convivência social mais segura”, explica João Rodrigues, vereador da Gestão e Conservação do Espaço Público.

O programa “Braga de Porta Aberta” tem como objetivo apoiar os setores da restauração e do comércio tradicional e minimizar os impactos sofridos devido à pandemia de Covid-19. “Este é um regime de exceção e temporário que vigorará para a instalação ou extensão de esplanadas abertas em espaço público em toda a área geográfica do Município, para o ano 2020, visando a compensação pela perda de capacidade de lotação no interior dos estabelecimentos”, acrescenta o vereador.

Além da proibição de circulação automóvel, na Rua D. Gonçalo Pereira está prevista a colocação de luzes, de floreiras e de bancos de jardim “para tornar mais confortável e harmoniosa a vivência da mesma”. Para João Rodrigues, o espaço público deve ser “um local de convívio social por excelência”. “A verdade é que durante muitos anos o entendimento foi o contrário. Contudo, temos vindo a procurar devolver o espaço público ao cidadão. Nesta altura difícil, temos procurado apoiar ao máximo o comércio bracarense, nomeadamente com a isenção de taxas de ocupação de espaço público, a devolução de taxas já pagas e o alargamento extraordinário das esplanadas”, conclui João Rodrigues.