Domingo, Maio 26, 2024
15.2 C
Braga
RegiãoGuimarãesBombeiros Voluntários de Guimarães celebraram 147.º aniversário

Bombeiros Voluntários de Guimarães celebraram 147.º aniversário

José Luís Carneiros e Domingos Bragança estiveram presentes na cerimónia de celebração.

© CM Guimarães

Os Bombeiros Voluntários de Guimarães comemoraram este domingo o seu 147.º aniversário.

A cerimónia começou com o hastear das bandeiras no quartel da Instituição, a que se seguiu um desfile dos efetivos e de viaturas em direção à Igreja de S. Francisco, onde se celebrou uma missa em sufrágio pelos bombeiros e sócios falecidos. De seguida, teve lugar a habitual homenagem no monumento ao Bombeiro, que contou com a presença de José Luís Carneiro, ministro da Administração Interna, Domingos Bragança, presidente da Câmara Municipal, José João Torrinha, presidente da Assembleia Municipal e João Pedro Castro, presidente da direção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Guimarães.

Após a condecoração de vários elementos da corporação, foi assinado um protocolo para criação de um curso de formação de bombeiros entre a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Guimarães, o Centro de Formação Francisco de Holanda, representado pela diretora Rosalina Pinheiro, e a Escola Nacional de Bombeiros, representada pelo seu diretor, Vítor Reis, permitindo aos alunos que acabem o 9.º ano ter formação inicial para ingresso nos Bombeiros Voluntários.

Na sua intervenção, Domingos Bragança, reconheceu “o trabalho de liderança pró-ativa do jovem Presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Guimarães, João Pedro Castro” e apelou ao ministro da Administração Interna, José Luís Carneiro, que “o governo central apoie  de forma inequívoca o trabalho imprescindível que todos os Bombeiros Voluntários fazem em prol das comunidades que protegem e socorrem”.

O edil deixou ainda uma palavra de “apreço e agradecimento ao bombeiro Pedro Almeida, que recuperou de uma queda onde havia ficado gravemente ferido, em 11 de dezembro de 2023.

Domingos Bragança recordou “o apoio que a Câmara Municipal deu para o projeto da reabilitação das piscinas” e anunciou que “será votada na próxima reunião do executivo o apoio à sua execução”, convicto de que esta empreitada “irá servir toda a comunidade vimaranense”.

Referindo-se à condecoração do Comandante Bento Marques, Domingos Bragança reconheceu todo o seu “trabalho e dedicação de total disponibilidade, de competência e imensa generosidade”, no serviço de socorro e de proteção de todos. “Guimarães orgulha-se de si”, rematou o presidente da Câmara Municipal.

Antes das intervenções protocolares, o comandante Bento Marques havia sido condecorado com a Medalha de Mérito da Proteção e Socorro, no Grau Ouro e Distintivo Laranja, pela sua “profunda dedicação e elevada competência” que têm “contribuído para o enriquecimento dos bombeiros e da proteção civil pela sua exímia conduta e profissionalismo” tendo sido um “elemento fundamental em todas as operações de proteção e socorro”.

O despacho de condecoração, assinado por José Luís Carneiro, sublinha ainda a “carreira dedicada ao serviço público e à dignificação do planeamento e socorro em Guimarães e na região norte” do Comandante Bento Marques que, “para além das elevadas competências operacionais”, se destaca pela sua enorme “capacidade de liderança pelo exemplo, capaz de inspirar os outros a seguirem um caminho de altruísmo e ir mais além nas suas funções”, mobilizando-os para a causa do serviço público.

Na sua intervenção, José Luís Carneiro afirmou que “Guimarães é um exemplo na Europa na qualidade de vida e no bem-estar” de todos os seus cidadãos.

O ministro agradeceu “o trabalho e empenho de toda a estrutura de Proteção Civil, nomeadamente, da Liga dos Bombeiros, durante o seu mandato, identificando ainda o trabalho inovador e a capacidade de atração dos mais jovens que os Bombeiros Voluntários de Guimarães têm desenvolvido nos últimos anos”.

“As sociedades de hoje exigem uma profissionalização para se poder antecipar riscos e conseguir responder melhor quando eles surgem, motivo pelo qual se tem reforçado o investimento nas equipas permanentes da Associações Humanitárias, que cresceu de 800 bombeiros em 2015, para cerca de 3800 em todo o país, preparados para este dispositivo. O importante é conseguir atingir os objetivos e não quem os atingiu”, finalizou José Luís Carneiro.

PARTILHE A NOTÍCIA

LEIA TAMBÉM

PUBLICIDADE

NEWSLETTER

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

REPORTAGEM

POPULARES