Sexta-feira, Janeiro 27, 2023
4.6 C
Braga
InícioRegiãoEsposendeArquivo Municipal apresenta história da rede de abastecimento de água em Esposende

Arquivo Municipal apresenta história da rede de abastecimento de água em Esposende

© CM Esposende

“O Longo Percurso até à Criação da Rede de Abastecimento de Água Potável em Esposende” é como se intitulada a exposição documental que está patente no Arquivo Municipal de Esposende, até ao próximo dia 31 de janeiro de 2023.

A exposição, que conta com a parceria com a empresa Municipal Esposende Ambiente, retrata a realidade local de abastecimento de água potável, desde o início do século XX até à primeira rede de abastecimento de águas à vila de Esposende, em 1940, e, mais tarde, em Fão, em 1957, culminando como a Municipalização dos Serviços de Água e Eletricidade.

Numa época de evolução das condições higiénico-sanitárias, finais do século XIX e inícios século XX, a água potável tornava-se um bem essencial para contrariar os ambientes insalubres e as constantes epidemias que assolavam o país e o concelho de Esposende, como o tifo exantemático, a varíola, e, mais tarde, a gripe pneumónica, e que potenciaram os constantes pedidos da Câmara Municipal de Esposende, documentados em Livros de Representações, para a criação de infraestruturas de acesso à água potável.

Na vila de Esposende, em 1903, com 1516 habitantes e 411 prédios, apenas havia uma fonte com água de boa qualidade que produzia apenas 4.326 m3 em 24 horas, obrigando ao uso de água dos poços de má qualidade. Com um número de habitantes ligeiramente superior à vila de Esposende, 1646 e 542 prédios, na vila de Fão a água era de boa qualidade e quantidade suficiente através de uma nascente e de alguns poços que proporcionavam 8.64 m3 em 24 horas.

Só em 1933 é iniciado o projeto de encanamento das águas a alguns prédios da vila de Esposende, acompanhado pela Planta Topográfica, Memória Descritiva, Planta de Depósito e Captação e Decantação e Marcos Fontenários, e que culmina, em 1940, com a realização da primeira de três empreitadas e de um aditamento, em 1939, justificado, não só pela pretensão de criar a obrigatoriedade do consumo de água, mas também porque, quando foi elaborado o primitivo projeto, não havia nenhuma casa no “términus da Avenida Marginal … melhoramento vem animar as construções, concorrendo assim para o desenvolvimento da praia”.

Nesta exposição os visitantes podem também encontrar o Projeto de Construção de um Lavadouro e Fontenário em Fão com o intuito de melhorar as condições desconfortáveis das Lavadeiras, “… considerando-se mesmo obras de interesse exclusivamente público, e obra de caracter turístico”, e o Projeto de Abastecimento de Águas a Fão, Ofir e Apúlia, acompanhado pelas Plantas de Localização, da Estação Elevatória e Desferrização, que teve início em 1955 e só foi concretizado em dezembro de 1958, com a abertura do abastecimento à populações das duas freguesias, segundo o livro de Atas dos Serviços de Água e Eletricidade.

Entretanto, pelo Orçamento de 1942, pode testemunhar-se que continuava o investimento nas fontes do concelho.

A deliberação, pelo Conselho Municipal, da Municipalização dos Serviços de Água e Eletricidade ocorreu em 12 de junho de 1957, estando também em exposição a proposta de regulamento e o próprio regulamento.

A mostra apresenta também alguns elementos representativos da atividade dos Serviços Municipalizados de Água e Eletricidade, como o Primeiro Livro das Atas das Reuniões do Conselho de Administração, o Livro do Diário das Contas dos Serviços Municipalizados de Esposende, o Livro 1 do Registo de Consumidores de Água dos Serviços Municipalizados, alguns exemplos de Contadores da Água e plantas da rede de abastecimento que permitem constatar a rápida evolução da primeira rede de abastecimento até aos dias de hoje.

A necessidade do acesso à água potável continua a ser uma das premissas da ONU que defende, através da comemoração do Dia Mundial do Saneamento para Todos, em 19 de novembro, um saneamento sustentável para todos, impossível de dissociar do acesso a água potável e infraestruturas para lavagem de mãos, de forma a proteger e a manter a segurança sanitária da Humanidade impedindo a propagação de doenças infeciosas mortais, sendo a mais recente a pandemia Covid-19. O Dia Mundial do Saneamento para Todos enquadra-se nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS 6) da Agenda 2030 da ONU, nomeadamente no que se refere à Sensibilização ambiental e educacional da população.

O Arquivo Municipal está instalado no edifício do antigo posto da GNR, na Av. Dr. Henrique Barros Lima, em Esposende, e funciona entre as 08:30 e as 13:00 e das 14:00 às 16:30.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS

MAIS LIDAS