Universidade do Minho participa no Dia das Nações Unidas para o Serviço Público
Sexta-feira , Setembro 18 2020 Periodicidade Diária nº 2578
Principal / Educação / Universidade do Minho participa no Dia das Nações Unidas para o Serviço Público

Universidade do Minho participa no Dia das Nações Unidas para o Serviço Público

Universidade do Minho

Alexandra Leitão, ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública, recebe esta terça-feira quatro jovens universitários das Universidades de para uma conversa-debate sobre o futuro da Administração Pública, quando se assinala o Dia das Nações Unidas para o Serviço Público.

Este dia, instituído em 2003 pela Organização das Nações Unidas (ONU), procura enaltecer o valor do serviço público na sociedade e reconhecer o trabalho levado a cabo pelos trabalhadores públicos.

Assim, e para assinalar a efeméride, a ministra Alexandra Leitão convidou estudantes das licenciaturas em Administração Pública das Universidades do Minho, Aveiro, Lisboa e do Instituto Politécnico de Leiria para uma conversa-debate, que será transmitida em direto no Twitter da República Portuguesa a partir das 14h30. O debate pode ser acompanhado em: https://twitter.com/govpt.

Além disso, foi lançado um desafio a vários trabalhadores da Administração Pública, aos quais foi pedido que refletissem sobre o que é ser trabalhador público e sobre o futuro do serviço público.

O resultado, que foi gravado em vídeo, é também uma homenagem a todos os trabalhadores públicos e será partilhado nas redes sociais do Governo da República (Twitter, Facebook e Instagram), a partir de terça-feira.

Estas iniciativas acontecem no ano em que Portugal foi distinguido pela ONU com o UN Public Service Award na categoria de “Delivering Inclusive and Equitable Public Services for all”, pela implementação da Tarifa Social Energética Automática através da Plataforma de Interoperabilidade da Administração Pública (iAP).

O projeto dinamizado pela Agência para a Modernização Administrativa (AMA), em colaboração com a Direção-Geral de Energia e Geologia (DGEG), permite atribuir a tarifa social de energia de forma totalmente automática sem necessidade de qualquer ação por parte do beneficiário, que passa a usufruir imediatamente deste desconto independentemente do prestador.

Na prática, o Governo implementou um sistema automatizado para prestar o serviço, fazendo uso dos dados já existentes na administração pública, disponíveis na Plataforma de Interoperabilidade da Administração Pública (iAP), gerida pela Agência para a Modernização Administrativa (AMA). Este sistema permitiu que mais de 800 mil famílias economicamente vulneráveis beneficiassem da tarifa social de energia.

Além de Portugal, foram também distinguidos projetos do Bangladesh, do Botsuana, do Brasil, do México, da Coreia e de Espanha.

Em tempos de crise, o apoio dos nossos leitores é fundamental para garantir que a Braga TV continue a ser um canal de informação de referência na região. Apoie aqui.