Famalicão: "Programar em Rede" com candidaturas abertas
Domingo , Janeiro 17 2021 Periodicidade Diária nº 2699
Principal / Região / Vila Nova de Famalicão / Famalicão: “Programar em Rede” com candidaturas abertas

Famalicão: “Programar em Rede” com candidaturas abertas

CM Famalicão

As inscrições para o “Programar em Rede”, promovido pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, estão a decorrer até 31 de julho. Este programa visa apoiar, com um montante até 10 mil euros, um projeto cultural que seja promovido em conjunto por várias associações e instituições do concelho.

Os interessados deverão preencher a ficha de inscrição do programa que já se encontra disponível no site do Município, em www.famalicao.pt/programar-em-rede, remetendo depois a candidatura para o endereço eletrónico [email protected].

O objetivo é envolver os vários agentes culturais do concelho na concretização de um projeto que se diferencie pela inovação e criatividade, pela capacidade de articulação com outros agentes culturais, pela capacidade de mobilização e atração de público e que contribua para a descentralização da atividade cultural no concelho. O projeto vencedor deve ser concretizado entre 1 de janeiro e 30 de julho de 2022.

De acordo com o regulamento, as entidades que apresentem candidatura podem optar pelas áreas artísticas e de criação que entendam, não existindo para efeitos de apreciação nenhuma área mais preponderante. Serão, no entanto, mais valorizados os projetos que apresentem cruzamentos disciplinares e apostem na formação de públicos.

Podem candidatar-se ao “Programar em Rede” as entidades com atividade no domínio cultural que tenham sede em Famalicão ou que, sendo de fora, promovam atividades de interesse municipal e sejam pessoas coletivas legalmente constituídas.

Caberá à divisão de Cultura e Turismo do Município a verificação da conformidade das candidaturas, a avaliação e decisão do projeto vencedor será da responsabilidade do Conselho Municipal da Cultura.

Recorde-se que a iniciativa “Programar em Rede” arrancou em 2016, com a Fundação Cupertino de Miranda a arrecadar o prémio com o projeto cultural “Museus Ilustrados em Rede”. Em 2017, a grande vencedora foi “A Casa ao Lado” com o projeto de arte urbana intitulado “Traço”. O vencedor da edição de 2018 foi a Associação Dar-as-Mãos com o projeto “Poesia Invade a Cidade”, em 2019 venceu a Associação de Moradores das Lameiras, com o projeto “[email protected], Intervenção pela Arte & Cultura – Pela Coesão Comunitária” e em 2020, a grande vencedora foi “A Casa ao Lado” com o projeto de requalificação e decoração dos espaços da Unidade de Famalicão do Centro Hospitalar do Médio Ave.