Sá Pinto expulso de avião em Faro após discussão com hospedeira
Quinta-feira , Janeiro 21 2021 Periodicidade Diária nº 2703
Principal / Ocorrências / Sá Pinto expulso de avião em Faro após discussão com hospedeira

Sá Pinto expulso de avião em Faro após discussão com hospedeira

Ricardo Sá Pinto, treinador do SC Braga, foi expulso hoje de um avião da Ryanair no Aeroporto de Faro, que seguia para o Porto, acabando por ser sido identificado pela Polícia.

Segundo alguns dos passageiros que estavam no avião, o técnico do SC Braga envolveu-se numa altercação com uma hospedeira de bordo.

O SC Braga já reagiu em nota enviada à Comunicação Social onde afirma  que o chefe de cabine teve uma “postura arrogante e mal educada” perante Ricardo Sá Pinto. O clube explica que o treinador reservou o seu bilhete na primeira fila, na impossibilidade do técnico manter o joelho dobrado durante o tempo de voo, devido às lesões sofridas nos joelhos enquanto jogador de futebol. De acordo com o SC Braga, a assistente de bordo solicitou a Sá Pinto que dobrasse as suas pernas, que foi negado perante as suas limitações físicas, e que levou ao desentendimento do treinador com a hospedeira, levando a tripulação a recusar-se a iniciar o voo até ao desembarque de Sá Pinto.

Leia a nota do SC Braga na íntegra:

“Ricardo Sá Pinto vem publicamente informar do incidente ocorrido hoje ao princípio da noite no avião da Ryanair que fazia a ligação entre Faro e Porto.

Desde a sua entrada no avião que o chefe de cabine teve para consigo uma postura arrogante e mal educada. Não obstante este comportamento condenável, e tendo-lhe sido solicitado por este chefe de cabine que desligasse o telemóvel e os auriculares, acatou de imediato as instruções e desligou ambos os aparelhos.

Aquando da reserva do bilhete procedeu à marcação do seu lugar na primeira fila do avião e pago o respetivo valor por aquele lugar especial.

Tal reserva de lugar acontece pela impossibilidade de manter o joelho dobrado durante o tempo de voo decorrente das graves lesões sofridas nos joelhos enquanto jogador de futebol.

Tendo a perna esticada por força da sua limitação física foi-lhe ordenado pela assistente de bordo que dobrasse as suas pernas tendo sido por ele explicado a impossibilidade de o fazer, razão pela qual adquiriu aquele lugar.

Perante esta posição devidamente explicada, a tripulação recusou-se a iniciar o voo, o que obrigou ao desembarque do passageiro Ricardo Sá Pinto.

É absolutamente condenável a postura do funcionário desta companhia de aviação ‘low cost’ e Ricardo Sá Pinto irá proceder judicialmente contra esta empresa e contra o aludido chefe de cabine pela actuação tida contra a sua pessoa.”