Liga Portugal quer adeptos nas bancadas em setembro
Sábado , Dezembro 5 2020 Periodicidade Diária nº 2656
Principal / Desporto / Futebol / Liga Portugal quer adeptos nas bancadas em setembro

Liga Portugal quer adeptos nas bancadas em setembro

Realizou-se, esta quarta-feira, no Templo dos Poetas, em Oeiras, a conferência “Futebol Profissional e Economia Pós-Covid-19”. Num evento onde foi apresentado o Anuário do Futebol Profissional, referente à época 2018-19, foram debatidas várias ideias chave, entre as quais a necessidade de centralizar os direitos audiovisuais, a premência de os jogos do Futebol Profissional voltarem a contar com adeptos nas bancadas e, também, o facto de o futebol ter cada vez mais um cariz empresarial.

Na conferência marcaram presença Pedro Proença, presidente da Liga Portugal, Pedro Siza Vieira, ministro da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, João Paulo Rebelo, secretário de Estado do Desporto e da Juventude, António Saraiva, presidente da CIP, e Miguel Farinha, partner da EY.

Para Pedro Proença, a publicação do Anuário do Futebol Profissional, pelo terceiro ano consecutivo, é um “momento de importância capital, por permitir destacar a forte participação que o futebol tem no setor da economia. Um contributo que, de resto, se traduziu num crescimento de 40% para o PIB, resultado de um total de 549 milhões gerados para o Produtor Interno Bruto português”.

O líder máximo do organismo que tutela o Futebol Profissional reiterou, ainda, a premência de o Futebol Profissional passar a estar sob a dupla tutela do Ministério da Educação e do Ministério da Economia, reforçando, também, a vontade de que a próxima época do Futebol Profissional possa iniciar-se já com adeptos nas bancadas. “É para os adeptos que estamos a lutar e a trabalhar, e tudo faremos para que a próxima época comece com eles. Sem eles, o futebol não existe, e estamos em conversações com a Direção-Geral de Saúde e com o Governo”, disse.

Ao mesmo tempo, Pedro Proença, mostrou-se agradado com a abertura demonstrada por João Paulo Rebelo para o processo de centralização de direitos audiovisuais, sublinhando “tratar-se de uma batalha antiga levada a cabo pela Liga Portugal”.

Sensível a estas questões, relevantes para o futuro do Futebol Profissional, Pedro Siza Vieira, concordou que o regresso dos adeptos aos estádios é um tema merecedor da melhor atenção, realçando, no entanto, que é essencial que este processo seja conduzido com a maior prudência, de forma a que não sejam dados passos atrás, e que possam comprometer o que já foi feito.

Uma visão corroborada pelo secretário de Estado do Desporto e da Juventude que, de resto, apresentou novidades relativas ao dossier da centralização dos direitos audiovisuais, confirmando tratar-se de um “assunto fechado”, que o atual executivo pretende legislar ainda no atual mandato, depois de ter criado um Grupo de Trabalho, com a Liga e FPF para debater este assunto.

Já Miguel Farinha considera que a organização do Anuário do Futebol Profissional é um momento de “extrema importância, por permitir apresentar, a todo o país, o forte contributo que o Futebol Profissional tem para o setor da economia, algo que muitas das vezes passa despercebido”.

O representante da EY, sublinhou, ainda, que o processo de retoma da Liga NOS foi crucial, derivado ao facto de ter permitido que o impacto financeiro, provocado pelo Covid-19, não tomasse proporções maiores.

A época 2020/21 do Campeonato arranca no fim de semana de 20 de setembro, uma semana depois do começo da LigaPro.