Sexta-feira, Abril 19, 2024
24.4 C
Braga
RegiãoGuimarãesGuimarães inaugurou Ecovia da Escola-Hotel

Guimarães inaugurou Ecovia da Escola-Hotel

© CM Guimarães

Na manhã deste sábado, teve lugar a cerimónia de inauguração da Ecovia da Escola-Hotel, junto à Quinta do Costeado, na Cruz de Pedra, em Guimarães. No evento, para além de vereadores do Executivo Municipal e convidados, esteve presente Domingos Bragança, presidente da Câmara Municipal, e António Gonçalves, presidente da Junta de Freguesia de Creixomil.

Antes das intervenções protocolares, Joaquim Carvalho, diretor municipal de Intervenção no Território, Ambiente e Ação Climática, fez um breve resumo das especificidades técnicas da obra, que custou cerca de 630 mil euros, 70% dos quais financiados pelo Portugal 2020. Trata-se de um percurso com 232 metros, em estrutura metálica, leve, com iluminação que recorre à tecnologia LED, e que se adapta ao enquadramento natural da Quinta do Costeado e sua envolvência. Uma obra que o coordenador do projeto de arquitetura, Filipe Vilas Boas, considera permitir ver “a cidade de cima” e apreciar os jardins da Quinta do Costeado.

Domingos Bragança disse ser esta uma obra “muito bem conseguida”, e que resultou de uma visão mais abrangente relativamente ao projeto inicial, e que colheu a aprovação da CCDR-Norte e do Portugal 2020. “Na dificuldade, soubemos criar uma oportunidade, e propusemos uma intervenção mais ousada, que permitisse interagir com a futura Escola-Hotel, e a beleza natural deste lugar”, disse.

O edil reiterou a ideia de que “é mais importante realizar obras com qualidade, que sejam verdadeiramente estruturantes e requalificadoras, numa abordagem que sempre pautou a intervenção em todo o território”. “Acrescentamos cidade à cidade, e fazemo-lo bem feito. Menos é, neste caso, mais. Com este tipo de obras, permitimos que os cidadãos desfrutem da cidade, em comunidade, em espaço de encontro, aumentando-se assim a qualidade de vida, o conforto, e reforçando a identidade e pertença”, frisou Domingos Bragança. “Guimarães é uma cidade à escala humana”, concluiu.

Apreciar o património natural, conhecer as estórias e lendas de Guimarães, são possibilidades que, no entender de Domingos Bragança, “fazem a diferença”, uma visão que minutos antes António Gonçalves, presidente da Junta de Freguesia de Creixomil, tinha referido, ao dizer que “uma ecovia não tem que ser uma simples via só para caminhar, pode ser um local onde se faz Arte”.

PARTILHE A NOTÍCIA

LEIA TAMBÉM

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

REPORTAGEM

POPULARES