Sexta-feira, Novembro 26, 2021
8.6 C
Braga
InícioRegiãoPóvoa de LanhosoFrederico Castro critica chumbo do Orçamento de Estado

Frederico Castro critica chumbo do Orçamento de Estado

© CM Póvoa de Lanhoso

Frederico Castro, presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, criticou a reprovação do Orçamento de Estado, ocorrido na Assembleia da República. O autarca espera que “não tenha impacto negativo quanto à concretização da principal obra que pretende executar no mandato, a Via Circular Urbana”.

“Nós temos o compromisso sério do atual Governo e do atual Ministro das Infraestruturas de executar esta obra nos próximos quatro anos. A possível alteração das circunstâncias políticas pode pôr em causa um objetivo que é fundamental para a Póvoa de Lanhoso”, refere o presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso.

“A minha expectativa e o meu desejo é de que as eleições legislativas reforcem a posição do Partido Socialista a nível nacional ou que, pelo menos, mantenham as condições para que o Partido Socialista continue a ser Governo e que possa cumprir os compromissos que tem com o país, nomeadamente este que existe com a Póvoa de Lanhoso que é público, que é muito sério e que é reiterado”, afirma ainda Frederico Castro.

Para o autarca, “este é o pior momento possível para se chumbar um Orçamento de Estado”, sendo que, em sua opinião, esta situação “tem muito de incompreensível”, pois ocorre num momento em que ainda se combate a pandemia, em que o país precisa de sinais de recuperação e de estabilidade, em que o Plano de Recuperação e Resiliência está à disposição e preparado para ser utilizado para ajudar o país a recuperar de tudo aquilo que tem atravessado no último ano e meio, justifica.

Frederico Castro acusa mesmo os partidos à esquerda do Partido Socialista de falta de responsabilidade. “Não perceberem que o país nunca precisou tanto de compromisso como no momento que estamos a atravessar agora é de uma irresponsabilidade muito grande e passa a imagem de que alguns interesses partidários estão a ser colocados à frente dos interesses do país. E eu não sei se os eleitores vão perdoar isso”.

O edil também antevê tempos difíceis para a região. “O Norte é o coração do país em termos industriais, em termos económicos, somos o pulsar do país. E é evidente que somos os mais prejudicados quando este tipo de instabilidade está em cima da mesa”. Desta forma, o Presidente da Autarquia da Póvoa de Lanhoso aconselha aos agentes económicos resiliência e resistência para superar mais uma adversidade. “Os empresários portugueses, em particular os do Norte, são empresários habituados a sofrer, a sacrifícios, a esforços, a uma dedicação muito grande e terão de estar preparados para resistir, durante este período, a mais uma dificuldade, que era muito desnecessária, mas que eu espero que seja compensada com estabilidade política, após as eleições, e por quatro anos, porque o país precisa dessa estabilidade. Os mecanismos que temos à disposição precisam de estabilidade também, os próprios mercados estão atentos a Portugal e sabem interpretar aquilo que é ou não estabilidade política e isso tem um efeito direto na vida das pessoas e no país como um todo”.

Teste BTV

Apoie a Braga TV

A Braga TV precisa do seu contributo, caro leitor.

Contribua com o seu donativo para que possamos continuar a dar informação aos nossos leitores.

Apoie aqui.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS

MAIS LIDAS