Sexta-feira, Abril 16, 2021
22.2 C
Braga
InícioBragaCâmara de Braga vai compensar perda de receita dos TUB num valor...

Câmara de Braga vai compensar perda de receita dos TUB num valor superior a 1,1 milhão de euros

CM Braga

O Município de Braga vai celebrar uma adenda ao contrato programa formalizado com os TUB – Transportes Urbanos de Braga, de forma a compensar a empresa municipal das perdas de receitas decorrentes dos efeitos da pandemia e das medidas impostas pela Autarquia de apoio económico aos seus utilizadores. A proposta, que será analisada em sede de reunião de Executivo Municipal de segunda-feira, prevê o pagamento de 1.158.858,58 euros.

“Desde a primeira hora que o Município e os TUB implementaram um conjunto de medidas para travar a propagação do vírus, assim como medidas de apoio aos seus utilizadores. A empresa municipal não cobrou os passes mensais de março a maio de 2020, posteriormente reduziu os tarifários em 50% para desempregados ou em situação de lay-off, ajustaram a sua oferta de forma a garantir a segurança de utilizadores e trabalhadores e permitiram a manutenção do serviço público de passageiros em níveis que garantiram as necessidades de mobilidade nos sucessivos Estados de Emergência”, explica a Autarquia em comunicado.

Para a Câmara Municipal, “mesmo com a limitação à venda e validação dos títulos de transporte, os TUB continuaram a assegurar os serviços à população e garantiram a mobilidade dos trabalhadores do Hospital, dos Centros de Saúde e das empresas que mantiveram a sua atividade. Estas medidas, que ajudaram muitas famílias bracarenses a aliviar os efeitos da pandemia, representaram um custo extraordinário para a empresa municipal”.

Em março do ano passado, a receita da venda de títulos não faturada cifrou-se nos 197.055,46 euros, em abril 465.398,65 euros e 496.404,47 euros no mês de maio. Dessa forma, seguindo as orientações da Autarquia de Braga, a empresa não obteve qualquer receita, continuando a incorrer em custos fixos e extraordinários com um impacto fortíssimo, na medida em que as vendas foram reduzidas a zero.

Desde 2014, os TUB tinham vindo a aumentar o número de passageiros em 21% e as vendas dos títulos de transporte em 18%, obtendo resultados líquidos positivos em seis anos consecutivos. Em janeiro e fevereiro de 2020, e até ao primeiro Estado de Emergência, os TUB apresentavam uma trajetória de crescimento comparativamente ao período homólogo de 2019, registando um aumento médio de 4,7% na venda de títulos de transporte. Depois, entre 18 de março e 31 de maio, por orientação Municipal, não houve qualquer validação de títulos a bordo e estabeleceu medidas excecionais relativas à pandemia.

Com a gradual retoma das atividades económicas, os TUB retomaram a sua oferta de serviço. “No entanto, a situação epidemiológica no país manteve-se crítica com efeitos nefastos ao nível económico e social. Esses efeitos fizeram-se sentir com impacto elevado ao nível operacional, económico e financeiro na atividade da empresa municipal de transportes, representando uma quebra de 44% no número de validações e uma redução de receita de 38% na venda de títulos”, finalizou o Município.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS

MAIS LIDAS